LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

sábado, 28 de março de 2009

Eles querem ser chamados de Democratas

Li a crônica abaixo e não pude deixar de postá-la integramente. É um resumo da nefasta passagem do partido ARENA/PFL/DEM(O).



Eles querem ser chamados de Democratas, assim com o D maiúsculo. Estiveram na linha de frente da sustentação da ditadura e, embora civis, foram figuras de proa do regime militar. Com o fim da exceção, abraçaram com todas as forças o neo-liberalismo então em voga.

Naquele tempo, gostavam de ser conhecidos como "liberais", num evidente abastardamento do significado da ideologia.

Sempre se colocaram contra tudo o que tivesse a mais longínqua conotação popular.

Ligados umbilicalmente ao grande capital, floresceram na associação com seus irmãos "sociais-democratas ", agrupamento com o qual dividiam o poder - e as suas benesses.

Quando viram que estavam para se extinguir - por falta de votos, essencialmente -, esses liberais de fachada resolveram mudar - de nome, apenas.
Passaram a se intitular Democratas, novamente corrompendo o termo, numa atitude evidentemente oportunista.

Hoje, protagonistas em um caso escandaloso, como esse da Operação Castelo de Areia, que flagrou fortes evidências da existência de um esquema de lavagem de dinheiro e financiamento ilegal de políticos na construtora Camargo Corrêa, eles mostram ser coerentes com todo o seu passado de adesismo escancarado aos mais fortes e desprezo explícito aos mais fracos.

Afinal, sempre tiveram o cinismo como companheiro inseparável.

Mas essa intenção de processar o presidente Lula pela responsabilidade da Operação Castelo de Areia, que julgam "política" revela que mesmo os mais cínicos dos cínicos correm o risco de serem mal interpretados.

Como nesse caso específico, em que eles estão sendo tão somente ridículos.

(http://esquerdopata .blogspot. com/)



Nenhum comentário: