LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Essa eu recebi de um amigo por e-mail.

PAULO SOUTO, ENVOLVIDO EM CORRUPÇÃO, NO APAGAR DAS LUZES DO SEU GOVERNO DEU PRESENTE DE MILHÕES AO CUNHADO DE SERRA!




QUEM DIRIA HEIN? DO DISSIMULADO ATÉ ENTÃO SÓ SE TINHA NOTÍCIA DOS SEUS “OLHOS FECHADOS” PARA A CORRUPÇÃO EM SETORES DA PM, OLHOS LACRADOS PARA OS CONTRATOS DE SEGURANÇA QUE A POLICIA FEDERAL DENUNCIOU..


Mas agora finalmente aparece a sua digital clara e escancarada.
Vamos a historia:


Em Trancoso existe uma ilha paradisíaca, chamada de Ilha do Urubu.
Trancoso é a orla marítima mais valorizada da América do Sul. Lá abrigam-se mansões milionárias de gente como o presidente da Fiat Luca di Montezemolo, Abílio Diniz, Olavo Monteiro de Carvalho, o Governador Aécio Neves, dentre outros.


Pois bem, foi nesse “Jardim do Eden” em área pertencente ao estado, na famosa, paradisíaca e caríssima Ilha do Urubu, Repito ILHA PERTENCENTE AO ESTADO DA BAHIA, que Paulo Souto participou de uma milionária triangulação envolvendo o cunhado, sócio e arrecadador de finanças da campanha do governador de São Paulo Jose Serra, Gregório Preciatto beneficiário da bagatela de R$5 milhões de reais (até onde se sabe!)


Em Novembro de 2006, no apagar das luzes de sua administração ele já se preparando para sair, ele assinou um termo de doação de uma área imensa de terras na ilha para uma família Martins, que estava em litígio com o tal Gregório Preciatto e, logo após a doação, chegaram a um acordo onde o Gregório Levou os R$5 milhões e as terras foram vendidas para um especulador belga, um tal de Philippe Meuus, por mais de R$50 milhões, fechando a triangulação: PAULO SOUTO + GREGORIO PRECIATTO (leia-se sócio, cunhado e arrecadador de Serra) = PHILLIPE MEUUS!


Paulo Souto já é réu em uma ação popular para anular a negociata, assim como todos os envolvidos são réus e o Ministério Publico Federal já está em ação.


A Lei nº 3.442 de 12 de dezembro de 1975, que fala da outorga gratuita de titulo de propriedade, dentre outras coisas fala claramente no seu artigo 3º “..., desde que comprove posse mansa e pacífica, morada e cultura efetivas, por mais de cinco anos, e capacidade para desenvolver a área ocupada;”


O detalhe em que Paulo Souto foi pego com a boca na botija, e vai ter que responder à, é que a propriedade estava sob processo judicial e a família Martins disputava a posse inclusive com ameaças de mortes, matérias em jornais, etc. Portanto, como se pode dizer que os beneficiados da maracutais de Paulo Souto tinham “... posse mansa e pacifica” como exige a lei?


É... por mais que Ademir Ismerim seja eficiente advogado, nesse caso....

Nenhum comentário: