LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Polícia prende diretor da Agerba, do PMDB, por cobrar propina de empresários

A notícia da prisão, hoje pela manhã (24.11), pela Polícia Civil, do ex-diretor da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia - Agerba, Antônio Lomanto Neto (PMDB) caiu como uma verdadeira bomba em Brasília e na Bahia.

Não há motivação política, evidentemente. Mas há conseqüências políticas. Afinal, Antônio Lomento Neto é uma indicação do PMDB de Geddel Vieira Lima. A prisão foi executada por ordem judicial por efeito de uma investigação que começou há pelo menos sete meses. Há provas contra o acusado.

Todo mundo está surpreso na Assembléia Legislativa. Oh!!!

Logo, logo os formadores de opinião começaram a onda de boatos. É o jornalismo de Ali Kamel. Testando hipóteses. Então, teste-se a hipótese do comando da Polícia Civil estar na governadoria. Aí envolve-se o nome de Wagner.

Mas a hipótese falhou. Então esclarece-se que Wagner não tem nada com isso. Trata-se realmente de uma investigação policial em busca de crimes de colarinhos brancos. O PMDB está cheio.

Não só o ex-diretor da Agerba foi preso. Vários advogados da Agência e empresários de transporte coletivo foram presos na Operação Themis. Há provas de extorsão e propinas.

A bem da verdade, o governador Wagner não sabia de nada. Ele apenas se limitou conforme a lei a enviar o material com as informações para o Ministério Público Estadual.

http://bahiadefato.blogspot.com/
.

Nenhum comentário: