LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

sábado, 14 de novembro de 2009

A tentativa desesperada do Ali Camel (*) de criar um megapagão

Paulo Henrique Cardoso: Seguem-se observações de amiga navegante bela e baiana. O jornal nacional recriou o clima de ódio e desespero que o Brasil viveu no apagão do Farol de Alexandria e tentou tratá-lo como se fosse atual. Na edição de ontem do jornal nacional, um especialista do INPE disse que a culpa era da Dilma – clique aqui para ver o vídeo. No Jornal da Globo (onde o Jabor se debatia com e naufragava com a própria ira), o INPE desmentiu o especialista do jornal nacional. O Jornal da Globo também anunciou uma devastação do rio Paraná por causa da Dilma. Vieram as imagens e eram cinco peixes mortos, que, juntos, não compunham uma sardinha. Clique aqui para ler mais sobre o PiG, só hoje: As três mentiras da Folha (e só três …) sobre a Dilma.
Leia mais sobre idéias para acelerar o morte do PiG (**), por Altamiro Borges.
E clique aqui para ler sobre a declaração que Aloizio Mercadante fez e, na verdade, não fez ao jornal nacional, em “recortagem” contra a Dilma.
Ali Camel (*) é insuperável. Nunca o departamento de jornalismo da Globo militou com tanta fúria na causa (hoje, perdida) do anti-trabalhismo.
http://dilma13.blogspot.com/
.

Nenhum comentário: