LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

domingo, 25 de abril de 2010

Um cheiro de Collor no ar

http://www.tijolaco.com/?p=12496
abril 19th, 2010 às 11:49
(Quem desejar ver o clip da Globo, acessem o blog do Brizola Neto)


Segui a dica de um leitor e fui ver o clipe de comemoração dos 45 anos – se fosse só pelo 45 eu não diria nada, não sou paranóico – da TV Globo. Mas o texto do clipe, que vai ser nauseantemente repetido durante a programação tem descaradamente referência no slogan de campanha de José Serra, aquele tal “O Brasil pode mais”
Veja como o redator publicitário global encarnou o papel de propagandista de Serra:
“Todos queremos mais: educação, saúde e, é claro, amor e paz. Brasil, muito mais”
Que vergonha!

Você pode assistir o vídeo aí em cima. Enquanto eu brigava com a velocidade da conexão para assistir, li a matéria do Estadão sobre a pretensa guerra jurídica entre o PSDB e o PT. Digo pretensa porque os tucanos ingressaram com 12 ações no TSE, contra nenhuma ação nacional do PT. Para dizer que há guerra, o jornal apela para uma ação estadual do PT, contra a propaganda de Serra.
O que me espanta na nota é a informação que o presidente do PT andou propondo um “armistício” ao presidente do PSDB, cujo nome parece até ironia, Sérgio Guerra.
Já falei aqui que o senhor Dutra está achando que o dragão não morde, querendo agir de “bom-moço”. Se o presidente do PT ficar achando que o jogo é de lordes, gentis, éticos, cavalheiros, os resultados vão ser cada vez mais abusos.

Tem dirigente petista ainda achando que as coisas vão ser na base do “paz e amor”. Não entenderam que estão lidando com alguém bem diferente do candidato anterior, Geraldo Alckmin. Alckimin sempre foi o mesmo. Serra, não. Serra é um homem frio, duro. Tanto que foi capaz de matar pedaços de si mesmo, o Serra da juventude, o Serra socialista, o Serra nacionalista, para tornar-se aquilo que vimos na foto, outro dia: o privatizador, o entregador do patrimônio e das riquezas do país.

Quem faz isso, do que não é capaz?

Nenhum comentário: