LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

terça-feira, 18 de maio de 2010

Navalha



http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2010/05/17/o-min-mello-deu-a-senha-para-o-golpe-a-dilma-corre-serio-perigo/

O Ministro Mello é um perigo.

Ele tem no currículo indícios de que, se puder, instala Honduras no Brasil.

Ou seja, o Supremo derruba o presidente – dentro da “lei”.

Na campanha presidencial de 2006, o presidente Lula travou muitas batalhas.

Contra o PiG (**), especialmente contra a Globo, contra o Alckmin e, também, contra o presidente do Tribunal Superior Eleitoral, o Min. Mello.

Por várias vezes, o Min. Mello ameaçou cassar a candidatura e, depois, sustar a posse do presidente Lula.

Quando Lula ganhou o segundo turno, o Min. Mello, esse que deu a “senha”, segundo a Folha (***), anunciou o resultado.

Não disse que o Lula ganhou.

(Na verdade, deu uma surra, 61% a 39%, como tinha dado no Serra.)

Mas, sim, que, diante do número de votos a apurar, o Alckmin não podia mais ganhar.

Freud explica.

Ora, direis ouvir estrelas …

Quem ousará cassar o presidente Lula, depois, por exemplo, dessa vitória estrondosa no Irã ?

Quem ousaria cassar o Lula ?

Ele mesmo, o Min. Mello.

Ainda mais agora que Ele, o ex-presidente Supremo do Supremo, recolheu-se à ministerial insignificância para se dedicar a processar jornalistas.

O Min. Mello também gosta do proscênio.

E os tucanos, pelo jeito, não tem o que temer.

Podem fazer como o serrista Jutahy Magalhães, para quem “o crime compensa”



Paulo Henrique Amorim

(*) Não tem nada a ver com cólon. São os colonistas do PiG (**) que combatem na milícia para derrubar o presidente Lula. E assim se comportarão sempre que um presidente no Brasil, no mundo e na Galáxia tiver origem no trabalho e, não, no capital. O Mino Carta costuma dizer que o Brasil é o único lugar do mundo em que jornalista chama patrão de colega. É esse pessoal aí.

(**) Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.

(***)Folha é um jornal que não se deve deixar a avó ler, porque publica palavrões. Além disso, Folha é aquele jornal que entrevista Daniel Dantas DEPOIS de condenado e pergunta o que ele achou da investigação; da “ditabranda”; da ficha falsa da Dilma; que veste FHC com o manto de “bom caráter”, porque, depois de 18 anos, reconheceu um filho; que avacalha o Presidente Lula por causa de um comercial de TV; que publica artigo sórdido de ex-militante do PT; e que é o que é, porque o dono é o que é ; nos anos militares, a Folha emprestava carros de reportagem aos torturadores.

Nenhum comentário: