LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

domingo, 9 de maio de 2010

O metalúrgico e o marinheiro: com Lula, indústria naval renasce e João Cândido vira nome de navio





publicada sexta, 07/05/2010 às 18:47 e atualizada sexta, 07/05/2010 às 21:42 | Comentários 28 Comentários

O governo Lula marca pontos, e ajuda a (des) travar o bom debate político no Brasil, quando assume posições como essa: batizou o primeiro navio montado no Brasil, depois de 13 anos, com o nome de João Cândido - o herói da Revolta da Chibata.

Cândido liderou a revolta contra os castigos corporais na Marinha, em 1910. A Marinha até hoje não o reconhece como um herói. O governo Lula já havia inaugurado um monumento para Cândido, no antigo cais do Rio. A ausência de um monumento era o mote para uma das músicas mais bonitas da história da MPB: "O Almirante Negro" - de João Bosco e Aldir Blanc (este último, certamente, um dos dez maiores letristas da nossa riquíssima música popular). Se tiver interesse em saber mais, clique aqui - http://www.rodrigovianna.com.br/brava-gente/as-pedras-do-cais-ja-nao-sao-o-unico-monumento-para-o-almirante-negro.

Com o nome do marinheiro no casco do navio, Lula politizou (no bom sentido, da grande Política) um debate que poderia ser puramente econômico.

E, aliás, trata-se economicamente de um salto gigantesco. Leia mais aqui, no blog da Petrobrás - http://www.blogspetrobras.com.br/fatosedados/?p=22562.

O petroleiro João Cândido significa que a a indústria naval renasceu, hoje, em Pernambuco. É o Estado (nacional) cumprindo o papel de indutor do desenvolvimento.

Tudo ao contrário do que os tucanos fizeram no Brasil! Por isso, não adianta Serra jogar na confusão, e dizer que vai convidar o PT para seu governo - he, he.

Os tucanos acham que o povão é burro!

Os tucanos liquidaram a indústria naval. E queriam liquidar a Petrobras (tentaram até mudar o nome da empresa para Petrobrax - assim, quem sabe, os gringos teriam mais interesse em comprá-la).

Agora, a Petrobrás voltou a encomendar navios no Brasil. E - com isso - fez renascer os estaleiros nacionais. Mais que isso: a indústria naval agora tem um pé no Nordeste!

Só isso já seria um fato marcante. A se comemorar.

Podemos comemorar também o fato de o Brasil agora ter navio com nome de marinheiro. Antes, eram só almirantes.

Nada contra os almirantes. Mas é bom ver o Estado brasileiro romper a tradição estamental.

O Estado hoje não pertence só à Casa Grande.

Trata-se de um fato emocionante. Tão emocionante como a música de Bosco e Aldir -http://www.youtube.com/watch?v=f9c7sY5TNTQ.

http://www.blogspetrobras.com.br/fatosedados/?p=22562
.

Nenhum comentário: