LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

O fórum dos quatro por cento


Por Jorge Portugal

Recebo quase todos os dias, através da minha caixa de e-mails, uma enxurrada de textos raivosos desancando o presidente Lula e sua candidata, Dilma Rousseff.

De Lula dizem o diabo, principalmente que é um analfabeto a conduzir o Brasil com políticas equivocadas e populistas. Quando muito, tem o mérito de ter continuado a política econômica de FHC.

Em entrevista recente a uma prestigiosa revista semanal, Maria da Conceição Tavares, uma das mais respeitadas economistas e intelectuais deste País em todos os tempos, dá-nos o seguinte depoimento: “Quando Lula perdeu as eleições de 1989, fundou o Instituto de Cidadania com o objetivo de pensar,refletir e descobrir caminhos para o País. Reuniu nesse fórum permanente, que era uma grande universidade aberta, a nata da inteligência nacional: economistas, políticos, sociólogos, filósofos, artistas, antropólogos, enfim, o primeiro time do pensamento nacional. E ele, Lula, era o aluno mais assíduo, mais aplicado, mais provocador”. Conclui assim a economista decana: “Lula é o maior intelectual orgânico do povo brasileiro!”. Diante de uma declaração dessa, calem-se todos que se encontram alguns decibéis intelectuais abaixo da genialidade dessa mulher. O resto é raiva, preconceito ou cenas de inveja explícita.

Quando leio as manchetes dos jornalões brasileiros e a escalada do principal jornal eletrônico do Brasil, acho sempre que atravessei algum universo paralelo e me transportei para outro país. Nele, não existe a inclusão de 40 milhões de brasileiros à cidadania e ao mercado de consumo; nele, não se fala em Prouni, política de ações afirmativas, salário mínimo valorizado, Bolsa Família estancando a morte de pobres pela fome, dezenas de novas universidades públicas, institutos de ensino técnico-profissionalizantes e um país respeitado mundo afora pela figura emblemática de seu líder maior.Aí eu lembro que todas as pesquisas de avaliação do governo Lula registram 4% de pessoas que acham o governo ruim ou péssimo. Deduzo: são esses “caranguejos na lata” da grande mídia o principal reduto do preconceito e o verdadeiro partido de oposição.

fonte: Jornal A TARDE, edição de 14/09/2010

Nenhum comentário: