LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

domingo, 12 de setembro de 2010

CESAR BORGES QUERIA PRIVATIZAR A EMBASA

domingo, 12 de setembro de 2010


Pinheiro relembra sanha de Borges para privatizar Embasa

Durante jantar de adesão à candidatura a deputado estadual do vereador Gilmar Santiago (PT), na noite desta sexta (10), Pinheiro, candidato ao Senado pela coligação “Pra Bahia Seguir em Frente”, lembrou que, em janeiro de 1999, com apenas doze dias à frente do governo da Bahia, o então governador César Borges encaminhou à Assembléia Legislativa uma emenda constitucional visando a privatizar a Embasa.

A medida foi barrada por ampla mobilização social e pela iniciativa dos deputados da oposição, que moveram uma ação direta de inconstitucionalidade (Adin) junto ao Supremo Tribunal Federal. “É este tipo de gente que diz ter amor pela Bahia?”, questionou Pinheiro. O candidato lembrou também que durante os oito anos do governo FHC (1995/2002) políticos baianos ocuparam a presidência da Câmara Federal, do Senado, a liderança do governo no Congresso e, apesar de tamanha influência, a Bahia tornou-se um estado marcado, sobretudo, pela desigualdade social e perdeu várias disputas por investimentos com outros estados nordestinos.

Pinheiro conclamou ainda a platéia, formada por lideranças sindicais de diversas categorias, lideranças comunitárias e estudantis, a intensificar a mobilização de campanha até o dia 03 de outubro, garantindo a vitória de Dilma, Wagner, Pinheiro e Lídice. “Além de uma grande bancada de deputados estaduais e federais do nosso projeto”, disse.

Novas universidades

“A Bahia não ganhou nenhuma nova universidade federal e nem escola técnica federal durante o governo FHC”, exemplificou o petista, afirmando em seguida que durante os governos de Lula e Wagner foram construídas 11 novas escolas técnicas federais no estado. Nesse mesmo período, com a atuação direta de Pinheiro na Câmara federal, a Bahia ganhou também duas novas universidades federais na Bahia, a do Recôncavo (UFRB) e a do Vale do São Francisco (UNIVASF).

http://blogdoricky.blogspot.com/2010/09/pinheiro-relembra-sanha-de-borges-para.html

Nenhum comentário: