LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Serra continua mentindo e disseminando o ódio

Li no Blog do Onipresente um artigo interessante do jornalista Messias Pontes, membro do comitê estadual do PCdoB do Ceará. Segundo Messias, “o candidato das forças do atraso, José Serra – o “Zé” Traíra –, derrotado para a Presidência da República, se revelou de corpo inteiro antes, durante e depois das eleições. Para muitos, ele era uma pessoa apenas equivocada por ter abraçado o neoliberalismo que tanto mal causou ao Brasil e ao mundo; outro tanto acreditava que ele poderia retornar ao leito da estrada da democracia e do progresso. Porém ninguém acreditava que ele fosse tão canalha, tão cretino e tão cheio de maldades como realmente se apresentou de corpo e alma”.

Messias lembra que Zé Traíra foi o primeiro e único candidato derrotado numa eleição presidencial que não teve a dignidade de ligar para o adversário vencedor para parabenizá-lo, no caso vencedora, Dilma Rousseff. “Pelo contrário, ele continuou mentindo e disseminando o ódio. Ele deixa um rastro de sujeira jamais visto neste País, que demandará muito tempo e esforço para limpar. Deixa também uma herança maldita que envergonha qualquer pessoa de bem. Ele se apresentou na campanha como do bem, mas na realidade ele é do mal, ele é muito mau”.

Messias Pontes escreveu:

“Ele se arvora de ter conquistado mais de 43 milhões de votos. Na realidade, a votação que ele conseguiu no primeiro turno mesmo com o apoio da velha mídia conservadora, venal e golpista, e das promessas inexeqüíveis não atingiu sequer um terço do eleitorado. Foram 33.132.283, o que representa 32,61% dos votos válidos.

Os 10,57 milhões de votos que conseguiu a mais no segundo turno não são seus, mas fruto do esforço das forças obscurantistas que ressurgiram das profundezas quando todos já as davam como desaparecidas. O “Zé” Traíra ressuscitou e está alimentando o que há de pior no mundo em proveito próprio.

Essas forças obscurantistas se identificaram com o candidato demotucano a tal ponto que lhes deram uma sobrevida. Mas o seu fim é nebuloso. Nazifascistas-serristas, tendo à frente a estudante de Direito, Mayara Petruso, que postou no twitter um pedido para que cada paulista matasse um nordestino afogado, continuam disseminando o ódio e o preconceito contra os nordestinos nas redes sociais. Já foram contabilizadas mais de 10 mil denúncias, sendo que mais de mil foram encaminhadas ao Ministério Público” (...).

Messias tem razão. Até agora Zé Serra não se pronunciou sobre a militante serrista Mayara Petruso.

Nenhum comentário: