LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Governo fecha balanço dos 4 anos de PAC no lucro e imprensa saiu falida

Quem acompanhou a cobertura da imprensa sobre o PAC nos últimos 4 anos, só viu o PIG (a imprensa demo-tucana) falando mal: chamava de "pactóide", dizia que não existia, deturpava os números.

Colunistas, como Miriam Leitão (Globo), pinçavam minuciosamente números que pareciam "cair mal", escondendo o principal. Noticiavam os problemas menores, escondendo os grandes sucessos.

Hoje, o resultado está aí: a maioria das metas cumpridas, investimentos realizados, muita coisa pronta e inaugurada, outras com canteiros de obras em pleno vapor, outras viabilizadas, transformando o Brasil num dos maiores canteiros de obras do mundo; milhões de empregos gerados, muita gente com casa nova, vivendo em bairros novos, outros aguardando a conclusão das obras.

Os problemas existem, cronogramas atrasam, até pela natureza do regime democrático, onde uma liminar do judiciário pode paralisar uma obra, mas são problemas pequenos diante do todo.

O presidente Lula não deixou de alfinetar a imprensa, ao participar do Balanço de 4 anos do PAC:

"... A cada quatro meses o governo inteiro – num primeiro momento coordenado pela Dilma, e agora coordenado pela companheira Miriam – se desnudava diante da imprensa. Nunca houve censura, nunca houve pergunta proibida e nunca houve pergunta que não tivesse resposta, e muitas vezes as manchetes colocavam em dúvida o sucesso do PAC...

... Tinha até programa de televisão, em época de eleição, que criava caravanas para ficar andando o país para procurar buraco, para poder mostrar que tinha buraco [referindo-se ao Jornal Nacional da TV Globo]. Se a gente quiser procurar buraco com lupa, a gente acha dentro da casa da gente....

... Nós nunca nos importamos com isso. Nós tínhamos um objetivo, tínhamos determinação, tínhamos decisão política de governo, tínhamos a convicção de que era possível juntar uma harmonização entre o poder do Estado, o poder do empresariado e o poder dos entes federados, e o sucesso está aí."

Um dos maiores canteiros de obras do mundo

O Presidente continuou em seu discurso:

"... possivelmente, somente a China, no mundo, hoje, tenha a quantidade de obras em andamento que tem o Brasil...

... o Minha Casa, Minha Vida, ... é capaz ... de chegar, no dia 31 de dezembro, contratando 1 milhão de casas, que nós prometemos ao povo brasileiro que iríamos contratar... Vocês estão lembrados de que eu tomei a decisão de não colocar prazo, porque se a gente coloca prazo e a gente erra por um dia, qual seria a manchete do dia seguinte? “Lula fracassa”; “Não deu certo”; “Lula prometeu em um ano e demorou um ano e uma hora”...

... faz pouco tempo que nós não tínhamos gás no Brasil, faz pouco tempo que a gente estava encrencado com a Bolívia, faz pouco tempo que a Petrobras dizia: “Não, não tem gás, não tem como achar gás. Vamos ter que importar, vamos ter que regaseificar, vamos ter que fazer uma série de coisas...”. Nós fizemos tudo isso. Mas o dado concreto é que a nossa querida Petrobras parou de queimar gás... o Brasil está caminhando para a autossuficiência [de gas]...

... Se você olhar o mundo hoje e você ver quais as três maiores hidrelétricas em construção no mundo, hoje, as três estão no Brasil: Santo Antônio, Jirau e Belo Monte. Eu não sei se tem outro país construindo três hidrelétricas da envergadura...

... que não tem nenhum país do mundo, hoje, construindo as quatro refinarias que nós estamos projetando construir no Brasil: a Abreu e Lima; o Comperj, no Rio de Janeiro; a do Maranhão; a do Ceará, que está tudo resolvido...

... eu perguntaria, Gabrielli, se existe no mundo alguma indústria de petróleo... A Esso, que é maior do que a Petrobras –, se ela está fazendo o investimento que a Petrobras está fazendo em sonda, em plataforma, em prospecção, em pesquisa. Não está...

... em 17 anos foram feitos na Ferrovia Norte-Sul apenas 215 quilômetros de ferrovia, em 17 anos! E que nós, em oito anos, ... vamos entregar 1.513 quilômetros de ferrovia e vamos anunciar a ida até Estrela d’Oeste, em São Paulo, que são mais 900 quilômetros...

... eu também não acredito que exista no mundo, hoje – talvez com exceção da China – um país que esteja fazendo quase 6 mil quilômetros de ferrovia como nós vamos fazer agora, quando a gente, amanhã, der ordem de serviço para o começo da construção da Oeste-Leste, que liga o porto de Ilhéus à Ferrovia Norte-Sul, no estado de Tocantins e, para o futuro, levar até a cidade de Belém. Eu duvido que tenha alguém fazendo isso, não sei se a China está fazendo, mas não conheço...

... para vocês que andam de carro – sobretudo jornalistas, câmeras... vai dar uma volta para fotografar a [BR]101 Sul, que está concluída no Rio Grande do Sul ... e faltam 20% para concluir Santa Catarina...

... a [BR]101 Nordeste, que vocês vão ver uma rodovia que qualquer alemão que for passear de carro em Pernambuco, ou entre Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte, ele vai ficar com inveja de na Alemanha não ter uma estrada da qualidade da nossa [BR]101 Nordeste. Não é daquelas estradinhas que você faz no verão, e no inverno já começam a ter buraco. Não, essa é de concreto; essa, vai levar pelo menos 30 anos para começar a fazer manutenção...

...valeu a pena a gente acreditar nas apresentações quadrimestrais. Valeu a pena a gente apresentar, nos colocarmos à disposição, porque o país está atravessando uma fase excepcional...

... E devemos muito à imprensa. À imprensa, eu queria até dizer, às vezes eu critico, e vocês: “Ah, o Lula está criticando a imprensa.” Não, eu estou apenas alertando. Como eu gosto que vocês me alertem, eu gosto de alertar vocês."

O Presidente citou muito mais obras, e não conseguiu citar outras tantas espalhadas pelo Brasil inteiro, porque senão o discurso não acabaria hoje.

http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/

Nenhum comentário: