LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Lula se prepara para deixar o poder: “Eu vou voltar pro meio do povo”

Reportagem acompanha uma das últimas viagens de Lula como presidente
Do R7 com Domingo Espetacular

Enquanto se prepara para entregar a faixa presidencial a Dilma Rousseff, a ministra que ele indicou como candidata do PT à sua sucessão, no próximo dia 1° de janeiro, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva faz um balanço de seus oito anos no poder e diz que voltará a morar no mesmo local de onde saiu para se tornar o primeiro ex-operário a governar o país.

As declarações foram feitas em entrevista exclusiva concedida à repórter Adriana Araújo, que acompanhou o presidente de uma maneira inédita: foi a primeira vez que uma equipe de televisão viajou junto com a comitiva no avião presidencial. A equipe do programa Domingo Espetacular viajou com o presidente de Georgetown, capital da Guiana, ao Brasil, em um dos últimos compromissos dele fora do país antes do fim do mandato.

Na entrevista, que começou na capital da Guiana, o presidente Lula fez um balanço positivo do seu governo. Ainda no hotel, ele falou da emoção de ter sido eleito presidente da República e do seu primeiro encontro com os líderes mundiais e comentou a declaração de que ele era “o cara”, feita pelo presidente americano Barak Obama.

- Ele só disse que eu era o cara porque ele não conhecia o povo brasileiro, se ele conhecesse, ele diria: ele só é o cara porque tem aqui 190 milhões de caras.

Já no avião, apelidado de Aerolula, o presidente conta que está fazendo um regime para que, no dia da entrega do mandato, possa usar o mesmo terno que usou em sua posse, em 2003.

Lembrando as inúmeras vezes em que quebrou o protocolo e driblou os esquemas de segurança para atender pessoas que chamavam seu nome, o presidente diz que isso é uma característica sua e define seus planos para quando deixar o poder.

- Eu sei que eu dei problema pro meu pessoal de protocolo, eu sei que eu dei problema pro meu pessoal da segurança. Eles ficavam horrorizados quando eu terminava, saía do palanque e descia lá pra abraçar o povo. Eu sabia da onde eu tinha vindo, eu sabia da minha origem, e eu sabia pra onde eu vou voltar. Eu vou voltar pro meio desse povo, eu vou voltar a morar a 600 metros do sindicato que me criou na política

O presidente também reclamou das críticas que recebeu por ter gasto R$ 90 milhões na compra do avião, admitiu que é chorão, e se emocionou com o povo na parada feita em Manaus para inaugurar um conjunto habitacional. Sobre como se sente tão próximo da transição do governo, ele comemora.

- O coração tá bem, haverá uma alegria extraordinária a gente estar dando posse à primeira mulher presidente da república.

Veja vídeo da matéria completa.

Nenhum comentário: