LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

JK de saias lembra compromisso com erradicação da miséria

Não desperdiçar a possibilidade de ser uma Nação desenvolvida



No pronunciamento no Congresso, a presidenta Dilma Rousseff manteve a prioridade de erradicar a pobreza.

É a sua marca, desde a campanha.

Outra marca da campanha: a presidenta apresentou-se ao Congresso de forma cautelosa e moderada.

Não correu riscos.

Crescimento com inclusão.

Qualidade do gasto público.

Austeridade.

A inflação não voltará.

Ela acabou de fazer barba, cabelo e bigode com a eleição das mesas do Senado e da Câmara.

Não precisava dizer muito mais do que o eleitor já sabia, na hora de votar.

Diz ter orgulho de ter feito parte da equipe do presidente Nunca Dantes.

E, como não podia deixar de ser, mostrou-se a “tocadora de obra”, um JK de saias.

O PAC II já está em andamento.

Um trilhão de reais de investimentos até 2014.

É dinheiro para virar esse país pelo avesso.

Nunca dantes neste país se viu o que ela anunciou: o investimento em rodovia será igual (em torno de R$ 45 bilhões) ao da ferrovia.

460 em energia.

280 em petróleo.

O Minha Casa Minha Vida vai construir mais 2 milhões de moradias e gastar R$ 278 bilhões.

Nunca dantes.

(Não se tem notícia de uma única obra do FHC que tenha utilizado tijolo ou cimento.)

A Copa do Mundo, lembrou a presidenta, vai ter jogos em cidades que concentram 2/3 da população brasileira.

A Copa trará benefícios permanentes, disse ela.

Um raro momento de exaltação retórica:

Pela primeira vez o Brasil tem a possibilidade de se tornar uma Nação desenvolvida.

E nós não deixaremos que essa oportunidade seja desperdiçada.

(Aplausos moderados, como prefere a presidenta. Moderadamente.)



Paulo Henrique Amorim
http://www.conversaafiada.com.br/politica/2011/02/02/jk-de-saias-lembra-compromisso-com-erradicacao-da-miseria/

Nenhum comentário: