LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Emiliano participa na sexta (8) do projeto Com a Palavra o Escritor

O jornalista, escritor, professor e deputado federal Emiliano José (PT-BA) participa, nesta sexta-feira (8), às 17h, de um bate-papo na Fundação Casa de Jorge Amado para falar da sua trajetória literária. Ele fará parte do projeto Com a Palavra o Escritor, realizado pela Fundação há 17 anos e que busca proporcionar um espaço de aproximação entre público e autores, estimulando o intercâmbio de ideias e experiências. A fundação fica no Largo do Pelourinho. Maiores informações no site www.jorgeamado.org.br.

Emiliano José é doutor em Comunicação e Cultura Contemporânea pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), professor aposentado da Faculdade de Comunicação, onde lecionou por 25 anos, jornalista de carreira e escritor. Exerce o mandato de deputado federal nesta 54º legislatura (2011-2014). Paulista de nascimento e baiano de coração, em dezembro de 2010 recebeu o "Prêmio J.J. Calmon de Passos", outorgado pelo Ministério Público da Bahia, por serviços prestados à sociedade na defesa dos direitos humanos.

Lançou nove livros: Lamarca, o Capitão da Guerrilha (1980); Narciso no Fundo das Galés - Combate Político através da Imprensa (1992); Imprensa e Poder: Ligações Perigosas (1995); Marighella - o Inimigo Número Um da Ditadura Militar (1997); Galeria F - Lembranças do Mar Cinzento (2000); As Asas Invisíveis do Padre Renzo (2002, publicado também na Itália); Galeria F, Lembranças do Mar Cinzento Parte II (2003); Galeria F, Lembranças do Mar Cinzento, Parte III (2008); e Jornalismo de campanha e a Constituição de 1988 (2011).

O Com a Palavra o Escritor, há 17 anos, promove o encontro entre autores e público através de depoimentos informais. No evento, escritores de ficção e poesia, críticos, historiadores e tradutores já tiveram ocasião de partilhar sua experiência pessoal sobre a aventura de publicar um livro.

Com informações da Fundação Casa de Jorge Amado

Caso não queira mais receber qualquer outro informativo, clique aqui:
Mensagem enviada de acordo com a ABEMD (Associação Brasileira de Marketing Direto), confira as normas aqui
Enviado através do:

Nenhum comentário: