LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Marcelino Galo participa da entrega de casas em Vitória da Conquista


Durante a entrega das 990 unidades habitacionais no município de Vitória da Conquista, na manhã desta segunda-feira (11), o governador Jaques Wagner atendeu à imprensa e respondeu questões de interesse da região, como as ações do Governo da Bahia para suprir o déficit habitacional e a criação da Região Metropolitana de Vitória da Conquista (RMVC) – projeto sugerido pelo deputado estadual Marcelino Galo (PT), que também compareceu ao evento junto com o prefeito Guilherme Menezes e participou da entrega das casas à população.

 

O governador da Bahia foi enfático ao citar Feira de Santana como exemplo de cidade grande que se transformou em metrópole e considerou importante debater o assunto da RMVC com a população. "Nós precisamos trabalhar melhor a proposta, saber o que agregar à essa questão, mas tem de ser um debate transparente com a população, não podemos achar que a criação da região metropolitana por si só mudaria completamente a realidade da cidade. Não vejo problema algum até porque Feira de Santana, que é a segunda maior cidade da Bahia recentemente virou metrópole", declara Jaques Wagner.

 

O parlamentar petista, Marcelino Galo, foi um dos deputados presentes e o primeiro a usar a palavra, lembrando que foi o prefeito Guilherme Menezes o percussor dessa política habitacional, quando começou a distribuir lotes urbanos para a população mais pobre da cidade. "Sabemos que um dos grandes anseios do povo pobre e a casa própria, e esse projeto de Conquista é diferenciado, são 990 casas com grande infraestrutura e distribuídas em dois conjuntos habitacionais - que ainda traz campo de futebol, parques infantis e com a iluminação toda custeada pela Prefeitura", completa Galo.

Nenhum comentário: