LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Dilma será a primeira mulher a abrir o debate geral da ONU

No dia 21, a presidenta será a primeira mulher, desde a fundação das Nações Unidas, a proferir o discurso de abertura da Assembleia-Geral.

A presidenta Dilma Rousseff realiza visita de trabalho a Nova York a partir desta segunda-feira (19) até 22 de setembro, quando chefiará a delegação brasileira à 66ª Assembleia-Geral das Nações Unidas (ONU).

No dia 21, a presidenta será a primeira mulher, desde a fundação das Nações Unidas, a proferir o discurso de abertura da Assembleia-Geral.

No dia 19, a presidenta participará da sessão de abertura da Reunião de Alto Nível sobre Doenças Crônicas e Não-Transmissíveis e será co-anfitriã do Colóquio de Alto Nível sobre Participação Política de Mulheres.

No dia 20, a mandatária brasileira co-presidirá – juntamente com o presidente dos EUA, Barack Obama – a cerimônia de lançamento da Parceria para a Transparência Governamental (“Open Government Partnership”).

No mesmo dia, receberá o prêmio “Woodrow Wilson for Public Service”, outorgado pelo “Woodrow Wilson International Center for Scholars”.

No dia 22, Dilma participará da Reunião de Alto Nível sobre Segurança Nuclear e da Reunião de Alto Nível do Conselho de Segurança sobre Diplomacia Preventiva.

A presidenta também manterá encontros bilaterais com chefes de Estado e de governo e com o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon.

O ministro das Relações Exteriores, Antonio de Aguiar Patriota, acompanhará a presidenta Dilma Rousseff e participará de encontros bilaterais com chanceleres de diversos países, bem como de reuniões ministeriais do Brics e do G-4.

A Assembleia-Geral das Nações Unidas, em sua 66ª sessão, deverá privilegiar, dentre outros temas, questões relacionadas à mediação e à diplomacia preventiva.

Café com a presidenta

No programa de rádio Café com a Presidenta desta segunda-feira (19), Dilma Rousseff comentou o fato de ser a primeira mulher a abrir a Assembleia Geral das Nações Unidas.

Segundo antecipou a presidenta durante a entrevista, a viagem a Nova York será um momento para discutir temas importantes, como o papel da mulher no mundo, a transparência nas ações dos governos e o combate a doenças crônicas. Outra temática que merecerá destaque – afirmou a presidenta – é a crise econômica mundial.

“Vou falar em nome do Brasil para chefes de Estado dos 193 países que vão participar dessa Assembleia Geral (…). O Brasil tem muito a mostrar em cada um desses temas”, frisou.

Outro assunto abordado pela presidenta Dilma durante o programa de rádio foi o anúncio feito, na semana passada, de que o governo federal irá construir 6.427 creches e pré-escolas em todo o Brasil, “em um esse esforço para oferecer educação de qualidade a todas as crianças de zero a cinco anos de idade”. Desse total, 4.943 creches e pré-escolas já foram colocadas à disposição de 1.465 municípios, informou. A presidenta afirmou ainda que, para a seleção dos municípios contemplados, foi feito um levantamento para saber onde há mais necessidade de creches e pré-escolas.

Sobre a sistemática de construção de creches, Dilma Rousseff esclareceu que o governo federal oferece os recursos para construção do prédio e para a manutenção da unidade escolar no primeiro ano de funcionamento; cabe às prefeituras dar o terreno e assumir a administração da nova creche.

“Na creche e na pré-escola, elas vão ter acesso a jogos, brinquedos e aos primeiros livros. Esse acompanhamento, no início da vida, faz toda a diferença no desenvolvimento da criança. Por isso, estamos fazendo esse esforço para que as crianças mais pobres tenham acesso à educação infantil. É uma forma de garantir a elas os mesmos direitos e as mesmas oportunidades de quem pode pagar uma escola particular”, complementou.

Dilma Rousseff comentou também sobre a construção e cobertura, até 2014, de 10 mil quadras esportivas nas escolas, de maneira a atender mais de 8 milhões de alunos. “Assim, os alunos podem praticar esportes o ano inteiro, mesmo em dias de chuva, em dias quentes ou muito frios”, afirmou. Na opinião da presidenta, o esporte é um estímulo para que as crianças permaneçam na escola por mais tempo e, muitas vezes, uma maneira de tirar a criança da rua, sobretudo nas regiões mais carentes.

http://www.pt.org.br/index.php?/noticias/view/dilma_sera_a_primeira_mulher_a_abrir_o_debate_geral_da_onu

Nenhum comentário: