LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Fortalecimento das ferrovias continua em debate no país

Seg, 26 de Setembro de 2011 16:37

pedro_uczai_dest2O fortalecimento dos projetos ferroviários nos sete estados do Nordeste foi tema do quarto seminário regional promovido pela Frente Parlamentar Mista das Ferrovias, do Congresso Nacional , na última sexta-feira (23), em Salvador. O evento contou com a presença do ministro dos Transportes, Paulo Sergio Passos. Para o ministro, o Brasil tem sua estrutura de transporte concentrada "de forma perversa no modal rodoviário". "Precisamos, inevitavelmente, investir em outros modais de transporte, contribuindo com nossas aspirações de crescimento". Segundo o ministro, os investimentos em ferrovias servem como instrumento propulsor, seja no fortalecimento da infraestrutura logística, como no desenvolvimento social e econômico. "Hoje temos cerca de 29 mil km de malha, que em parte não estão sendo utilizadas. É preciso pensar em fortalecer o setor ferroviário. Para isso, é preciso considerar a necessidade de expansão e modernização da malha", afirma.
Segundo o governador da Bahia, Jaques Wagner, que também participou do debate, o seminário é uma ação importante, já que entre os principais projetos ferroviários em curso no país, três das grandes ferrovias que estão sendo construídas nesse momento, Ferrovia Norte-Sul, a Ferrovia da Integração Oeste/Leste (Fiol) e a Transnordestina, cortam o Nordeste. "O Brasil está passando por um momento muito especial de desenvolvimento. Não se concebe desenvolvimento sem logística. Espero que saiam daqui indicações que promovam a aceleração desse processo de retomada das ferrovias", disse.
O presidente da Frente, deputado Pedro Uczai (PT-SC), coordenador do evento, solicitou ao relator do PPA, a inclusão das obras ferroviárias no Plano, que está em debate e será aprovado este ano pelo Congresso Nacional. "A inclusão das obras estruturantes no PPA, em especial as ferrovias, é crucial para garantirmos a continuidade do desenvolvimento social e econômico que o país está vivendo". Para ele, as ferrovias são estratégicas para o desenvolvimento do Brasil. "O transporte ferroviário é mais barato, mais seguro e ambientalmente sustentável. Além disso, as ferrovias mantêm as empresas nas regiões e atraem novos investimentos nas cidades por onde passam os trilhos, e ainda, contribui para a preservação das nossas rodovias", disse Uczai.

Por e-mail

Nenhum comentário: