LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Unidades de ensino federal na Bahia


O deputado federal Emiliano José (PT-BA) esteve reunido, nesta quarta-feira, 21, com o ministro da Educação, Fernando Haddad e diversos prefeitos baianos, em Brasília. Na pauta do encontro, reivindicações como a transformação do campus da UFBA, localizado em Vitória da Conquista, na Universidade Federal do Sudoeste, além da implantação, em Santa Maria da Vitória, de um campus da Universidade Federal do Oeste.

Emiliano José, que é um dos principais articuladores na Câmara dos Deputados da instalação dessas unidades de ensino na Bahia, trouxe boas notícias. "A implantação da Universidade do Sudoeste está avançada, já que a unidade possui seis cursos na área de saúde. Quanto a implantação do campus em Santa Maria da Vitória, o ministro comprometeu-se em enviar equipes para pesquisar a viabilidade da criação do campi", afirmou o deputado, que já tratou do assunto com o secretário de Educação Superior do Ministério da Educação, Luiz Cláudio Costa, e com a reitora da UFBA, Dora Leal.

Durante a reunião, o ministro da Educação Fernando Haddad afirmou que os Governos Lula e Dilma vêm investindo maciçamente na expansão do ensino superior. Desde 2003, já foram criados 126 campi e 214 institutos federais em 340 cidades brasileiras. Também estiveram presentes no encontro os prefeitos de Vitória da Conquista, Guilherme Menezes; Santa Maria da Vitória, padre Amaro Santana; Barra do Choça, Oberdan Rocha (presidente da Associação dos Municípios da Micro-Região do Sudoeste); Brumado, Eduardo Vasconcelos; Mortugaba, Rita de Cássia Cerqueira (presidente da Associação dos Municípios das Regiões do Rio do Antônio e Rio Gavião); Planaltino, Zeca Braga (também presidente da Associação dos Municípios do Vale do Jiquiriçá/Mercovale) e Santana, Marco Aurélio Cardoso.


Prefeitos destacam atuação de Emiliano

O prefeito Guilherme Menezes fez questão de destacar que estavam presentes à reunião dirigentes que representam mais de 60 municípios e afirmou que Vitória da Conquista polariza uma região com população superior a dois milhões de habitantes. "O deputado Emiliano José tem sido um parceiro de primeira hora, colocando seu mandato à disposição desses municípios e fortalecendo esta importante luta em defesa da criação da Universidade Federal do Sudoeste".

Representando os prefeitos de toda a micro-região do Sudoeste, o prefeito de Barra do Choça afirmou que o deputado federal Emiliano José tem cumprido um "papel fundamental" ao congregar prefeitos em defesa daquele que ele considera ser um dos mais necessários investimentos do governo federal na região - a criação da universidade federal. "O deputado Emiliano José, com essa iniciativa, demonstrou a preocupação que ele tem com a questão do desenvolvimento educacional da Bahia. Isso me deixou muito feliz por saber que ele, um professor da UFBA, um educador, está nesta luta para expandir o ensino e o saber em nosso Estado".

Integrante da Comissão que discute o Plano Nacional de Educação (PNE), Emiliano defende a interiorização do ensino federal na Bahia "suprir o déficit educacional que existe no estado é fundamental". Em agosto deste ano, o deputado reuniu-se com o secretário de Educação Superior do Ministério da Educação, Luiz Cláudio Costa, e parte da bancada federal baiana para discutir a implantação de universidades e institutos federais no estado. Resultado: a Bahia ganhou duas universidades federais e nove institutos de tecnologia, os IFETs.

por e-mail


Nenhum comentário: