LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Continua a luta contra a doença falciforme

blog Bahia de Fato

Fiquei feliz em saber, pelo boletim da vereadora Marta Rodrigues (PT) que a luta por políticas públicas para tratamento das doenças falciformes continua. Um seminário, presidido pelo deputado estadual Bira Coroa (PT), acaba de acontecer em Salvador.

A anemia falciforme é endêmica na Bahia e afeta basicamente a população negra. Poderia estar sendo combatida desde 2003, se o deputado médico Luis de Deus, do então PFL, não tivesse dado parecer contrário ao Projeto de Lei 13.286/2003 apresentado na Assembléia Legislativa pelo então deputado Emiliano José (PT).

O PFL baiano atrasou as políticas públicas pela má política. Como aprovar, na época, um projeto de lei de um parlamentar de oposição? A ironia é que o Parecer negativo foi assinado por um deputado médico, Luis de Deus.

A anemia falciforme é uma doença hereditária, sem cura, que causa má formação das hemácias - as células do sangue que transportam oxigênio e gás carbônico aos tecidos. As hemoglobinas que compõem as hemácias são normalmente redondas e maleáveis, mas, nos portadores da doença, elas são rígidas e em forma de foice (falciforme), o que dificulta a passagem das hemácias pelos vasos sanguíneos. Daí decorrem fadiga, respiração curta, crescimento lento, agravamento das infecções, complicações osteoarticulares, oculares e cardiovasculares, necrose de tecidos.

Assessorado pela Associação Baiana dos Portadores de Anemia Falciforme (ABADFAL) o então deputado estadual Emiliano José (PT), hoje deputado federal, propôs a criação de um Programa Estadual de Prevenção, Diagnóstico, Assistência Médica Integral e Orientação aos Portadores de Doenças Falciformes e Outras Hemoglobinopatias. Por irresponsabilidade criminosa, o PFL baiano vetou.

O seminário foi realizado na manhã desta quinta-feira (27 de outubro de 2011). As políticas públicas estaduais poderiam ter sido aprovadas desde 2003. Sendo a Bahia o estado de maior incidência da Doença Falciforme no Brasil (a enfermidade genética é identificada em um a cada 650 nascimentos no estado), é de vital necessidade que a população baiana tenha atendimento especializado e acesso qualificado ao serviço de saúde.

PREFEITO OMISSO
Para a vereadora Marta Rodrigues, no caso do município de Salvador, onde a mudança de gestores municipais de saúde tem sido constante, a descontinuidade da gestão compromete o programa. “É difícil alcançar resultados sem essa continuidade. Cada um dos secretários quer deixar a sua marca”, afirmou a vereadora.

De acordo com Marta, a baixa cobertura da atenção básica no município de Salvador, que é a porta de entrada do SUS e o racismo institucional são duas das vertentes que devem ser prioritariamente trabalhadas. “Para viabilizar e concretizar as ações temos que diminuir ou acabar com a rotatividade de secretários e com a falta de compromisso dos gestores”, concluiu Marta.

A vereadora abordou ainda a invisibilidade histórica que a doença enfrenta em nosso país. “A anemia falciforme foi descoberta há apenas 101 anos, pois nesses 500 anos de Brasil o poder público só teve olhos para uma classe social. Muitos negros e negras morreram sem um diagnóstico”, contou.

Tem coisas na Bahia que a gente nunca esquece. Leia o Projeto de Emiliano em 2003.
http://www.emilianojose.com.br/index.cfm?event=Site.dspNoticiaDetalhe&noticia_id=117

Nenhum comentário: