LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

PF ouvirá blogueiro sobre fraude em pesquisas eleitorais em 2010



Este post traz uma boa e uma má notícia sobre o seu país, leitor. A boa é a de que o Brasil pode estar deixando de ser a zona que sempre foi; a má é a de que ainda falta muito para que isso aconteça.
Explico: na última sexta-feira, recebi, em casa, intimação da Polícia Federal (vide imagem acima) para comparecer à sua sede em São Paulo, na Lapa de Baixo, para depor sobre uma das duas denúncias que o Movimento dos Sem Mídia fez à Procuradoria Geral Eleitoral no ano passado – e que este vosso servo assinou.
Serei ouvido sobre a primeira denúncia, que foi sobre fraudes em pesquisas eleitorais que a imprensa denunciou no primeiro semestre de 2010 e que me fez acionar a ONG que presido de forma a representar contra os institutos Datafolha, Ibope, Sensus e Vox Populi.
Para refrescar as memórias de alguns e informar a outros, reproduzo, abaixo, matéria do Portal IG publicada em 12 de maio de 2010:

http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/procuradoria+pede+que+pf+investigue+pesquisas/n1237617849733.html
Aquela medida do Movimento dos Sem Mídia produziu um efeito imediato.
Em março de 2010, quando o Vox Populi e o Sensus davam empate técnico entre Dilma e Serra, o Datafolha dizia que a diferença a favor do tucano era de 10 p.p. Em abril, o mesmo Datafolha aumentaria essa vantagem ainda mais, para 12 p.p.  Em maio, a Procuradoria Geral Eleitoral aceita a representação do Movimento dos Sem Mídia e emite um despacho à Polícia Federal para que instaure inquérito a fim de apurar possível crime eleitoral de falsificação de pesquisas. Na pesquisa seguinte do Datafolha, a vantagem de Serra sobre Dilma desaparece e os dois aparecem empatados.
Veja, abaixo, o gráfico que reproduz o que ocorreu com as pesquisas do Datafolha naquele período.

Infelizmente, a histórica falta de dinheiro do MSM – que, por imposição estatutária que adotou por moto próprio, não pede e não recebe dinheiro público – não lhe permitiu fazer com que o processo andasse mais rápido, pois, para tanto, a organização teria que manter ponte aérea entre São Paulo e Brasília. Todavia, a intimação supra reproduzida mostra que andou mais lentamente, mas andou.
Veja só, caríssimo leitor: um cidadão fez uma denúncia em seu blog, mais de duas mil pessoas assinaram deixando comentários de apoio, esses comentários foram impressos e protocolados na Procuradoria junto com a representação e agora, em nome daqueles milhares de cidadãos, irei me pronunciar no inquérito.
O processo prossegue e, no que depender de mim, irá até as últimas consequências, pois esses golpes de esperteza em períodos eleitorais, essas “balas de prata”, precisam acabar.
Nesse contexto, ser intimado para me pronunciar sobre a denúncia do Movimento dos Sem Mídia significa instituições funcionando. Significa que aqueles espertinhos que tentam manipular a opinião pública para votar como querem agora sabem que tem gente disposta a não aceitar isso passivamente.
Sobre a má notícia de que ainda temos muito a percorrer antes de nos tornarmos um país totalmente civilizado e que, por isso, não permite fraudes eleitorais, note-se que o processo só começou a andar mesmo quase um ano e meio após a denúncia…
Seja como for, é vital para a democracia que armações eleitorais não fiquem impunes. Do contrário, continuarão se reproduzindo a cada eleição, como tem sido desde sempre. Mas, pelo menos, estamos contribuindo para que isso mude.

Blog da Cidadania

Nenhum comentário: