LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

domingo, 1 de janeiro de 2012

As perguntas para 2012

Fonte: O que será que me dá?
O deputado Protógenes protocolou o pedido e Marco Maia criará a CPI. Mas caberá ao Procurador Geral da República decidir se e quem será julgado. Roberto Gurgel terá coragem e/ou poder para levar isso adiante?

A era FHC… 8 anos com o sociólogo bufão e seu ministro ególatra obsessivo, ambos desgovernando o Brasil. Éramos a 15ª economia do mundo e… ladeira abaixo!
Recordar é viver. Quem não se lembra da “lâmpada econômica” que fez enorme sucesso no apagão de 9 meses e foi um dos poucos produtos bem sucedidos comercialmente durante os magros anos FHC? Lembram-se do “racionamento de energia premiado”? Se você consumisse bem pouco – tomando banho frio, de canequinha ou nem tomando banho todos os dias – ganhava conta de luz… zerada! Mas se você não abrisse mão de um banho quentinho, sem pressa, e quisesse passar algumas horas vendo TV, ouvindo música ou gastando eletricidade como bem entendesse, pagava a conta acrescida de… sobretaxa! Por conta do apagão de FHC, a indústria foi obrigada a diminuir o ritmo de produção e demitir em massa – piorando mais ainda o que parecia não ter como ser pior. Dá pra acreditar que um dia achamos tudo isso “aceitável”?
Outro símbolo do governo FHC foi aquela agência de empregos on line. Lembram? Piscava em todos os portais oferecendo “milhares” de vagas. Era uma miragem no deserto de recessão e desemprego que assolava o país. A tal agência exibia todos os detalhes da vaga: cidade, função, benefícios, salário… menos nome contato da empresa. Quer a vaga? Paga taxa mensal para ter acesso. Sem piedade. É claro que muitos pagaram e poucos levaram. Fui testemunha e vítima: era puro estelionato em cima de pai de família desesperado. (A tal agência de empregos só existe até hoje porque, sob Lula, os empregos reais voltaram a aparecer.)
De tão quixotesco que era no cargo de presidente, FHC chegou a ser humilhado em público pelo então presidente Clinton (veja o vídeo aqui) depois de confessar a falência financeira de seu governo diante de vários líderes mundiais.  —> Leia mais…

Nenhum comentário: