LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

BAHIA: Governador sanciona lei que cria o Peater e Proater

Ainda no final do ano de 2011, o mandato do deputado estadual Marcelino Galo (PT) alcançou mais uma importante vitória. A sansão da lei que cria a Política e o Programa de Assistência Técnica e Extensão Rural Pública (Peater e Proater) foi realizada pelo governador Jaques Wagner no dia 24 do mês de dezembro. O projeto foi aprovado por unanimidade na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), no dia 7 e seguiu para a sansão do governador. Galo foi o relator do projeto de lei, que articulou as emendas apresentadas pelos deputados e sociedade civil e comemorou a criação do programa e da política que beneficiará diretamente os agricultores familiares de todos os territórios da Bahia.

 

"Essa lei do Poder Executivo garante a participação dos movimentos sociais, entidades e organizações do setor agrário e da sociedade civil na elaboração de emendas para a proposição do Governo da Bahia. Com a sansão da lei, haverá no campo as condições necessárias para o desenvolvimento sustentável da agricultura familiar, dos empreendimentos rurais, assentados de reforma agrária, povos indígenas, quilombolas, além de agroextrativistas, silvicultores, aquicultores, pescadores, colonos, meeiros e posseiros, comunidades de fundo e fecho de pasto, ribeirinhos e agricultores da zona rural e periurbanos", pontua o parlamentar petista.

 

Essas comunidades baianas terão a oportunidade de acessar um serviço público de assistência técnica e extensão rural de qualidade e com o acompanhamento, fiscalização e credenciamento por órgãos como a Secretaria de Agricultura e Reforma Agrária (Seagri) e do Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável (CEDRS).

 

Ascom do deputado Marcelino Galo

www.marcelinogalo.com

71 3115 7253



Nenhum comentário: