LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

domingo, 4 de março de 2012

"Fala, professor, melhorou?"

 
Foto: BETO BARATA/AGÊNCIA ESTADO

Era assim que o senador moralista Demóstenes Torres (DEM/GO) se dirigia ao mafioso Carlinhos Cachoeira nas conversas telefônicas grampeadas pela PF; entre fevereiro e agosto de 2011, foram 298 ligações, mais de uma por dia; inquérito já foi encaminhado ao STF; e agora, Demóstenes?

04 de Março de 2012 às 15:50
247 – Dias piores virão para o senador Demóstenes Torres (DEM/GO). Catão da República e amigo do peito do bicheiro Carlinhos Cachoeira, que está detido num presídio de segurança máxima em Mossoró (RN), acusado de comandar um esquema de jogos ilegais e fraudes em licitações, com fortes ramificações no governo goiano, do tucano Marconi Perillo, Demóstenes pode se transformar em réu no Supremo Tribunal Federal.
A Polícia Federal acaba de encaminhar ao STF as transcrições das 298 ligações telefônicas trocadas entre o senador Demóstenes e o bicheiro Carlinhos Cachoeira entre fevereiro e agosto de 2011 – na média, 1,4 telefonema por dia. “Fala, professor, melhorou?” Era assim que Demóstenes se dirigia ao contraventor.
Ora, mas professor de quê, senador? Carlinhos Cachoeira há anos é conhecido como um dos mais notórios empresários da contravenção no Brasil, muito embora o senador goiano tenha declarado que pensava que o mesmo havia abandonado o crime (leia mais aqui).
Na maior parte das conversas, Demóstenes e Cachoeira marcam jantares. Algumas vezes falam da necessidade de conversar com urgência urgentíssima. O senador ganhou do bicheiro uma cozinha importada dos Estados Unidos avaliada em US$ 27 mil. No entanto, ele não vê problemas nisso. Diz que não se incomoda por ter recebido presentes de “uma pessoa considerada limpa”.
Na tribuna
Demóstenes diz que irá à tribuna do Senado nesta semana para se defender. Afirma, ainda, que descobriu que Carlinhos Cachoeira é um contraventor apenas na última semana. Segundo o senador Walter Pinheiro (PT-BA), os petistas “não farão com eles o que fizeram com a gente”. Mas afirmou que “uma ligação com Carlos Cachoeira nunca é boa”.

Fonte: Brasil 247

Nenhum comentário: