Ao longo dos nossos 32 anos de existência, afirmamos a formação política como um importante instrumento de organização da militância e já o fizemos de diversas formas.
Nos últimos cinco anos, o partido dos trabalhadores vem organizando, através da Escola Nacional de Formação, um conjunto de ações que visam armar a militância e a direção partidária para a disputa política e ideológica no país.
Em 2012 não será diferente. Organizamos nossa militância para uma formação voltada para a jornada eleitoral que vivemos. É verdade que muitos elementos usados nesse processo já são velhas ferramentas conhecidas por nós. Mas é também verdade que, a partir desse ano, a formação política do PT começa a fazer o registro da história de sua militância e a conseguir estabelecer um processo continuado de formação.
Em 2012, nossa jornada de formação vai contar com o Curso de Formação para Candidatos Majoritários e Proporcionais. Será no curso onde dinamizaremos a aplicação de ferramentas de planejamento estratégico, pesquisa, comunicação e mobilização de campanha. Junto a esses, teremos os cursos de formulação e avaliação das políticas específicas, tais como Combate ao Racismo, Juventude, Feminismo e Lutas das/os LGBTs. Também voltados à organização das candidaturas.
A jornada 2012 visa armar o partido para a empreitada eleitoral, não só de forma individualizada, mas também municiando o partido com informações para os programas de governo e fortalecendo o modo petista de governar. Ao mesmo tempo, indicaremos a elaboração de Cartas Compromissos das candidaturas petistas para serem entregues à sociedade. Toda/o candidata/o do PT deve assumir um compromisso com o programa, com o modo petista de legislar e de governar.
Em 2011, estabelecemos a organização de um Coletivo de Gestores de Formação Política que somam hoje 28 pessoas no estado. É a partir deles que realizaremos o trabalho de mapeamento, monitoramento e formação nos 27 territórios baianos.
A Secretaria de Formação Política faz parte do Grupo de Trabalho de Acompanhamento e Monitoramento das Campanhas do PT no estado e, compreendendo-se como agente militante e mobilizador, se empenhará para garantir que todo o coletivo de formação se comprometa em manter uma lógica estadualizada neste momento eleitoral, compreendendo a ação política de forma conjunta neste período.
Nossa jornada começa no dia 13 de abril, pela manhã, com oCurso de Formação de Combate ao Racismo, que tem como foco formar os/as militantes que ora se organizam no setorial de Combate ao Racismo. No dia 20/04, à noite, abriremos o Curso de Formação Eleitoral 2012, que se estenderá por todo o dia 21.  O curso tem como foco formar candidatas/os a prefeito/a, vereador/a e presidentes de DMs das 35 maiores cidades da Bahia, bem como constituir como multiplicadores os já gestores da formação política, os membros do grupo de monitoramento e todo o Diretório Estadual do PT. Esta atividade será anterior à Reunião do Diretório Estadual, que deverá se reunir no próximo dia 22/04 com função específica de debater o calendário e as diretrizes eleitorais do PT para 2012.
No mês de maio, realizaremos duas importantes atividades. No inicio do mês, durante a Festival de Juventude de Vitória da Conquista, faremos a Jornada Formadora com a Juventude, que preparará as candidaturas jovens e armará a galera para a luta pela garantia das pautas caras à juventude nas propostas de políticas públicas nos programas de governos e candidaturas. Já no final do mês, faremos a Jornada de Formação Feminista(26/05), com foco nas mulheres pré-candidatas a prefeitas e vereadoras, construindo uma pauta que inclua mais mulheres no poder local.
Em Junho, mês do orgulho gay, realizaremos a primeira Jornada de Formação LGBT, que reunirá candidaturas do PT e de partidos da base aliada do governo, ampliando o acúmulo do PT no setor.
Paralelo a estas atividades, estaremos – nos meses de abril, maio e junho – construindo a Jornada de Formação nos Territórios, que tem como meta formar 1.000 militantes do PT em 2012.
Só é possível estabelecer metas assim porque, hoje, nosso partido constrói de forma nacionalizada a política eleitoral para 2012. Dos possíveis 40 mil candidatos a vereadores no Brasil, a Bahia é, certamente, responsável por, em média, 10% desse número.
Partimos do plano dos 35 maiores municípios no estado e, dentre eles, temos que destacar onde já somos governo – Vitória da Conquista, Camaçari, Serrinha, Irecê, Itapetinga, Senhor do Bonfim e Lauro de Freitas – que são aqueles onde vamos trabalhar para reeleger o projeto petista. Ainda das 35 maiores cidades, olharemos de forma diferenciada para aquelas em que nunca fomos governo e a oposição estabelece sua organicidade, mas temos possibilidade real de disputa, como é o caso de Feira de Santana. Há também um olhar apurado para as cidades onde teremos tempo de TV nas eleições e estaremos preparados para uma estréia organizada das campanhas pela internet via redes sociais.
Considerando que somamos o maior número de prefeitos da base do governo em torno de nossa agremiação, que possuímos a maior bancada de deputados federais e estaduais e que temos tarefas protagonistas no amplo campo da base de sustentação dos governos estadual e federal, não nos furtamos à responsabilidade que temos.
Compreendendo essa conjuntura, nos dedicamos a construir uma grande mobilização e um bom processo de organização partidária. Um processo que leve à nossa base e para cada candidatura petista da Bahia, a força organizada do Partido dos Trabalhadores.
Em 2012 a Bahia será 13.
PT Saudações,

Luciana Mandelli
Secretária de Formação Política
PT-BA