LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Povo brasileiro apóia presidente Dilma: 77%

5 de abril de 2012

  A popularidade da presidente Dilma Rousseff bateu os 77%, segundo apontou a pesquisa CNI/Ibope. O levantamento mostrou que o índice de satisfação com a presidente subiu 5 pontos percentuais em relação à última pesquisa, que mediu 72% de aprovação. A avaliação do governo foi classificada como "ótima" ou "boa" por 56% dos brasileiros, mesmo resultado obtido na pesquisa anterior, em que Dilma bateu o recorde histórico da pesquisa CNI/Ibope para o primeiro ano de mandato.

O governo Dilma é considerado 'ótimo' ou 'bom' por 56% dos brasileiros. Já a confiança dos brasileiros na presidente também oscilou: saltou de 68% para 72%, conforme apontou a pesquisa. O CNI/Ibope revelou também que mais da metade da população - 60% - considera que o governo Dilma está sendo igual ao do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva.

Comparativamente, a pesquisa constatou também que o governo de Dilma tem popularidade maior que a dos seus antecessores Lula e Fernando Henrique Cardoso no primeiro ano de mandato. No início do segundo ano de seu primeiro mandato, Fernando Henrique Cardoso (PSDB) tinha 60% de aprovação e, no segundo mandato, 33%. Lula tinha 54% e 73% de aprovação no início do primeiro e segundo mandatos.

A aprovação pessoal de Dilma é mais alta no Nordeste, de onde passou de 76% em dezembro para 82% em março. O Sudeste, onde subiu de 69% para 75%, dá a Dilma sua segunda maior margem de apoio. No Sul e no Norte/Centro-Oeste ela tem 74% de aprovação. A margem dos que confiam em Dilma também cresceu, passando de 68% para 72%. Ao mesmo tempo, a quantidade de pessoas que não confiam em Dilma caiu de 26% para 24%.

A pesquisa foi realizada entre 16 e 19 de março, com 2.002 pessoas. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais e para menos.

O noticiário está em toda a mídia.


Fonte: Bahia de Fato

Nenhum comentário: