LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

domingo, 6 de maio de 2012

CARAVANA DA CIDADANIA NA VILA IRMÃ DULCE


Neste sábado dia 05 de maio a Caravana da Cidadania esteve presente na Vila Irmã Dulce. Mais uma vez ouvimos os moradores que se demostraram tristes com a atual situação em que vivem.

 A principal queixa é a irregularidade do transporte escolar que pouco sobe para atender as necessidades dos estudantes. Dizem os moradores que quando chove o problema é a lama, quando tem sol o problema são os buracos, mas os buracos que eu encontrei por lá, eram as valetas feitas para escorrer o esgoto das casas, por falta de saneamento básico; por isso, acredito que o transporte escolar deve ser algum carro velho cujo motor não tenha tantos cavalos necessários para fazê-lo subir até as casas populares da Vila Irmã Dulce ou então, o motorista não tem pena daquelas crianças.

Fiquei analisando o problema e percebi que aqueles moradores estão tão acostumados com pouco, que nem acreditam que eles têm direito pelo menos de reivindicar saneamento básico, creche, escola fundamental, uma praça com quadra esportiva, posto de saúde, além de cesta básica e todos os outros benefícios que o governo federal disponibiliza para o município.

Muitas crianças apareceram na caravana, brincaram, tomaram refrigerantes e comeram salgadinhos; muitos dos seus pais não foram provavelmente com medo de aparecerem nas fotos e terem suas cestas básicas confiscadas, esse era o comentário lá no alto da Vila Irmã Dulce, iluminada pela bela lua cheia que ontem se apresentou no céu.

Que tempos são esses que vivemos em Ipiaú? Que tipo de política é essa praticada pela prefeitura que usa os programas sociais do governo federal para encabrestar os votos utilizando a miséria do povo?  Pobre povo que não sabe dos seus direitos e que acha que o que recebe é, por favor, do prefeito ou do secretário de ação social ou de um amigo que trabalha “lá dentro”.

A caravana detectou a falta de tudo, lá só vimos as casas do programa do Governo Federal feitas antes do Projeto Minha Casa minha Vida, uma Igreja Adventista, luz e água. Creche e Escola Fundamental e Posto de Saúde são de extrema importância, pois a distância e o acesso (só ladeiras) fazem qualquer um desistir de levar seus filhos pequenos ou seus doentes para o bairro mais próximo que é o Nossa Senhora Aparecida.

A Caravana tem pela frente grandes desafios, primeiro mostrar à população que ela é a razão da existência da própria Caravana, segundo formatar um projeto de governo sólido e ao mesmo tempo flexível para atender as necessidades básicas dessa população e também envolver a população na vida política do município, pois ela, a população, será necessária quando da elaboração do orçamento municipal, o famoso  “Orçamento Participativo”, que eu lutarei para fazer funcionar.
Zé do Coletivo, Cezário Costa, Elinalva Bastos, João Grilo, Orlando Santos, Margarete Chaves e Robson Moreira
Foto do Site Ipiaú Online
PROGRAMAS SOCIAIS EXISTEM E NÓS FAREMOS ELES FUNCIONAREM PARA O BEM DA POPULAÇÃO DESSA NOSSA CIDADE.

Nenhum comentário: