LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

domingo, 20 de maio de 2012

ITAGIBÁ: Militância petista comemora 23 anos de fundação do partido


O aniversário de 23 anos do PT do município de Itagibá, no sul da Bahia, na última sexta-feira (18), reuniu algumas das principais lideranças políticas da sigla que colaboraram para a sua fundação. O deputado petista Marcelino Galo, que já foi presidente estadual do partido, participou da atividade e lembrou a trajetória do PT. "Esse partido conseguiu inverter a história do nosso país. Hoje os trabalhadores, as mulheres e os negros começaram a aparecer no cenário político e, através dele, conseguimos eleger, pela primeira vez, um operário presidente. Cada encontro com a militância do PT é também um encontro com as lutas do povo brasileiro", destaca.

Ao comentar a "herança" do ex-presidente Lula e a atuação da presidente Dilma, Galo listou avanços econômicos, mas disse que o governo tem ainda pela frente o desafio de acabar com as desigualdades. "Onde o PT governa melhora as condições dos mais pobres, mas ainda precisamos trabalhar muito e trazer oportunidades para construir uma sociedade mais justa e que traga a verdadeira mudança social". O secretário estadual de finanças do partido, Ademário Costa, destacou o momento que o PT tem vivido no limiar das eleições 2012. "Essas eleições acontecem quando nós já estamos há quase 10 anos no governo federal e 6 anos no governo estadual. Nesses anos de governança, o PT vem construindo uma trajetória de tornar visíveis as pessoas a quem a sociedade não enxergava".

Dentre os participantes do encontro estavam o vice-presidente do PT Gandú, conhecido por Roberto, o presidente do PT de Ipiaú, Orlando Santos, além do líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) e uma das principais lideranças do partido na região, Fulgêncio Novaes, que ressaltou a importância da militância na história do partido. Segundo ele, o partido vai trabalhar para continuar com o que tem, reconquistar o que perdeu e ganhar novos espaços nas eleições municipais.

Ascon do Deputado Marcelino Galo

Nenhum comentário: