A vereadora de Ilhéus e professora, Carmelita Ângela (PT), resolveu sair em defesa dos professores da Rede Estadual de Ensino, em greve há 19 dias, e usou a tribuna da Câmara Municipal, no último dia 24 de abril, para fazer duras críticas à administração estadual e ao governador Jaques Wagner (PT). “O governo do Estado não quer reconhecer a luta dos trabalhadores. O governo do Estado tem mudado o seu discurso. O governo do Estado tem nos feito passar vergonha, porque nós votamos nele. Principalmente nós que somos do Partido dos Trabalhadores”, disparou. A revolta da petista contra a administração petista seria, segundo ela, por conta da “mudança do discurso” quando o assunto é os profissinais da Educação na Bahia. “No momento em que se fala tanto nos discursos sobre valorização profissional, o governador Jaques Wagner teima em não reconhecer a luta dos trabalhadores. E pior ainda. O governador Wagner teima em jogar sua história na lata do lixo”, criticou. O problema é que neste domingo (29), durante a convenção do PT de Ilhéus, a edil venceu a disputa interna para a escolha do nome que disputará o comando da prefeitura nas eleições municipais deste ano. Para lideranças políticas do município do sul baiano, ou os petistas ilheenses desconheciam a insatisfação da prefeiturável, ou comungam da mesma opinião da colega de partido, já que ela desbancou dois fortes nomes dos quadros da legenda, como o do deputado federal Josias Gomes e do atual secretário de Governo de Ilhéus, Alisson Mendonça, que também tinham pretensões em disputar o pleito em outubro próximo. Resta saber, agora, se o “fogo amigo” resultará em punição, com uma possível revogação da vontade da maioria dos petistas ilheenses. Ou se o palanque da petista contará, ou não, com a presença da maior representação do PT no estado.
Fonte G1