LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

sábado, 9 de junho de 2012

Esquema Cachoeira é parte do golpe para capturar o poder, falsificando a luta contra a corrupção


sexta-feira, 8 de junho de 2012

O governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), em artigo, analisa o que há de maior por trás do esquema Cachoeira.

Tarso analisa que os demotucanos e a velha imprensa tentam isolar o esquema como se fosse desvio de conduta de pessoas substituíveis, como o senador Demóstenes Torres, sem atacar o sistema maior do qual o bicheiro Cachoeira era parte, numa máquina onde a velha imprensa e setores demotucanos faziam parte da engrenagem.

E o desafio maior da CPI é desbaratar esse esquema maior.

Eis alguns trechos:
... o esquema Cachoeira não é um simples evento de criminalização de políticos, mas é um vasto esquema de dominação de partidos pelo crime organizado. É um esquema de interferência na agenda política da nação, para falsificá-la e colocá-la a serviço da corrupção e do atraso neoliberal, inclusive usando para isso - criminosamente, portanto - a liberdade de imprensa e os órgãos de imprensa que se prestam para isso.
... não apenas atos isolados de corrupção, mas uma conspiração criminosa que usava a luta contra a corrupção para promover uma corrupção ainda maior, a destruição no atacado do espaço político democrático com falsificação de informações, destruição de reputações, negócios ilegais com bens públicos, articulação com o submundo do crime e aparelhamento do estado para fins ilícitos.
... dar uma nobre função política à CPI, não transformá-la num mero inquérito policial (...) e mostrar que a malha grossa do sistema político, erguido sobre o financiamento privado das campanhas, é o grande alicerce da corrupção no Brasil
... a transformação da corrupção no assunto político principal da República obedece a outros objetivos: transferir à esquerda que governa todas as mazelas do país, para esconder o fracasso político dos governos anteriores, que não só foram ineptos para governar, mas também incompetentes para atacar a corrupção enraizada no Estado, promovida diretamente por setores da iniciativa privada mancomunados com agentes públicos.
Eis a íntegra do texto, originalmente publicado na Carta Maior:
Fonte: Os Amigos do Presidente Lula

Nenhum comentário: