LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

terça-feira, 24 de julho de 2012

Cachoeira pagava contas de secretários de Marconi Perillo



Será que vai dar no JN?  A primeira notícia pode até ser, pois o PSDB parece que já jogou a toalha no caso Perillo (não é possível mais querer tapar o sol com a peneira!). Mas a segunda é pouco provável que saia!

-- Cachoeira pagava contas de secretários de Marconi Perillo

Interceptações telefônicas da Polícia Federal sugerem que o bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, pagava contas de secretários do governador de Goiás Marconi Perillo (PSDB) usando, para isso, a construtora Delta. No dia 27 de abril do ano passado, irritado com dificuldades para emplacar indicações no governo Perillo, Cachoeira irrita-se com Wladimir Garcez, apontado como braço político do esquema, e critica Wilder Morais (DEM-GO), ex-secretário de infraestrutura do governo e suplente de Demóstenes Torres no senado. "Eu não consigo pôr no Detran, o Wilder foi lá e emplacou. O Wilder não dá um centavo para ninguém. Imagina só: o Wilder vai lá para o Palácio, consegue convencer o Marconi a colocar o cara e você tá lá todo dia e não fala nada. Você tá com o secretariado todo dia, todo dia você traz conta pra mim, levo pro Cláudio, e não consegue emplacar ninguém. Entendeu?", reclama Cachoeira, fazendo referência a Cláudio Abreu, da Delta. As informações são do jornal O Globo

Em outra ligação, no mesmo dia, o bicheiro deixa claro mais uma vez que paga contas de secretários. "Ô Wladimir, eu tô fazendo a coisa. Esquece esse negócio de viagem meu. Eu tô puto, porque vai enchendo o saco, vai caindo a gota, sabe, aí um bobão tá lá no trem. O Edivaldo (Cardoso, presidente do Detran de Goiás) fala que não tem isso, não tem aquilo, que acabou com a CLT, que não sei o que tem, que não vai fazer isso, não vai fazer aquilo, e o cara tá lá. Tá sendo empossado na nossa cara rapaz. E nós aqui, ó. Você todo dia traz uma conta diferente pra mim. Todos os dias. Um cargo que a gente tinha, todo dia, esse bosta desse cara, esse malandro desse (Jayme) Rincón (presidente da Agência Goiana de Transportes e Obras), todo dia você tá com ele, rapaz, nós tínhamos uma diretoria forte. Não temos mais nada. Não temos uma pessoa nossa lá ", falou Cachoeira. Com as novas informações, membros da CPI do Cachoeira já defendem a reconvocação de Perillo para falar sobre o assunto.

Intermediário da Delta doou R$ 8,25 milhões para candidatura de José Serra

(A) Claudio Abreu = ex-diretor da empreiteira Delta
(C) Carlinhos Cachoeira.
Lulinha = jornalista Luis Costa Pinto
Entre os 73 diálogos interceptados pela Polícia Federal que envolvem o jornalista da revista Veja, Policarpo Júnior, com o bicheiro Carlinhos Cachoeira, publicados pelo"Conversa Afiada", um complica mais ainda a situação de José Serra (PSDB).

Em maio de 2011, Policarpo estava atrás de um boato sobre um encontro do ex-ministro Zé Dirceu (PT) com o ex-governador José Roberto Arruda (ex-DEM-DF) na cidade de Itajubá. O boato falava que era para intermediar contratos da empreiteira Delta com o governo do DF.

Nos diálogos do ex-diretor da Delta, Cláudio Abreu, com Carlinhos Cachoeira, o primeiro diz que Policarpo estava no rumo errado. Que tal encontro nunca existiu e que não tinha nada a ver com Dirceu:

"...eu que tava aqui quando tudo aconteceu. Sabe quem foi que botou o Fernando [Cavendish], e que fez, ajudou e virou nosso procurador, o cobrador junto com o Arruda? O Zé Celso." - disse Claudio Abreu a Cachoeira.

Pelo diálogo fica claro que trata-se de José Celso Gontijo. Através de sua mulher, Ana Maria Baeta Valadares Gontijo, ele doou R$ 8,25 milhões para a direção nacional do PSDB nas eleições de 2010, para financiar a campanha de José Serra (confira aqui)

Chama a atenção ser a maior doação de pessoa física em todo o Brasil e concentrada em um único partido. Foi o dobro do total que Eike Batista doou para vários partidos.

Logo, fica a inevitável pergunta: teria sido a Delta quem doou de forma triangulada? A Delta teve contratos bilionários com o governo Serra em São Paulo. É um trabalho para a CPI encontrar a resposta.

Em tempo: José Celso Valadares Gontijo foi gravado por Durval Barbosa entregando pacotes (supostamente de dinheiro), no mensalão do DEM (Operação Caixa de Pandora da Polícia Federal):
Fonte: recebido por e-mail

Nenhum comentário: