LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

MENSALÃO: Marcelino Galo diz que processo é eleitoral e tenta manchar a gestão do PT


O início do julgamento do chamado mensalão nesta quinta-feira (2) movimentou o cenário político em todo o Brasil. Na Bahia, o ex-presidente do Partido dos Trabalhadores, o deputado estadual Marcelino Galo (PT), avalia que a apreciação do Supremo Tribunal Federal (STF) acontece em meio às campanhas eleitorais do pleito de 2012. Considerando o processo um absurdo, o parlamentar afirma que a ação tem fins eleitoreiros no sentindo de tentar manchar a gestão do partido, como aconteceu em 2005, quando era presidente da sigla na Bahia e teve de se desdobrar para reverter a situação no estado.

 

"Acredito que o julgamento não tem como não ser politizado, até porque terá a participação de grandes nomes do PT como Dirceu e Genoíno. Em Brasília, não se fala de outro assunto, na verdade até o caso de Cachoeira ficou em segundo plano na mídia, tudo para tentar manchar a gestão do ex-presidente Lula e agora da presidenta Dilma. Vamos acompanhar cada passo desse julgamento e atentos aos trabalhos político-eleitorais para não deixar que deturpem as informações para a população. Como disse o presidente nacional Rui Falcão, para nós é claro que não houve compra de votos no Congresso Nacional, muito menos pagamento para nenhum parlamentar votar a favor do governo", pontua Galo.

 

Ainda segundo o parlamentar petista, mesmo com esse posicionamento da sigla, os membros do PT são massacrados pela mídia e pela oposição com mentiras e ataques pessoais. "O que acontece é que o militante e o filiado do partido se sentem julgados pela mídia, sem chance de marcarem posição. Mas, mesmo com tudo isso, aguardamos que o Supremo cumpra o seu papel e seja justo, isento e coerente. Todos nós esperamos que o julgamento seja baseado nas provas e, principalmente, pela falta delas", finaliza.

 

Ascom do deputado Marcelino Galo

www.marcelinogalo.com

71 3115 5596


Nenhum comentário: