LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Deputado Marcelino Galo diz que casamento civil entre pessoas do mesmo sexo fortalece a luta pela diversidade


 

A decisão do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) de legalizar, no estado, o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo é mais uma iniciativa que fortalece a luta pela diversidade no país. A afirmação é do deputado Marcelino Galo (PT), que transformou seu mandato na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) em um instrumento das lutas do segmento LGBT, encampando suas bandeiras e construindo uma sociedade voltada para o respeito à diversidade e em defesa da cidadania LGBT.

 

"Essa é mais uma conquista da comunidade LGBT e dos casais homoafetivos, que agora terão o direito de oficializar suas relações com o aval da justiça e seguindo os mesmos protocolos. A Bahia mostra que continua no caminho certo para erradicar o preconceito, mostrando ser um estado laico e que absorve as propostas da sociedade", declara o parlamentar.

 

A publicação da decisão do TJ-BA saiu na quarta-feira (10), no Diário Oficial da Justiça, assinada pela corregedora-geral de Justiça, a desembargadora Ivete Caldas, e pelo corregedor das comarcas do interior, o desembargador Antônio Pessoa Cardoso.  A medida estabelece que, a partir do dia 26 de novembro, os casais poderão solicitar o começo do processo nos cartórios.

 

Em maio de 2011, o Supremo Tribunal Federal (STF) legalizou a união estável homoafetiva. "Ainda há muito o que avançar nos estados e municípios. São muitas as políticas públicas a serem executadas no âmbito da educação para a diversidade, saúde integral LGBT, segurança, turismo, desenvolvimento social, trabalho e renda e cultura LGBT", finaliza Galo.

 

Ascom do deputado Marcelino Galo

www.marcelinogalo.com

71 3115 5596









Nenhum comentário: