LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

domingo, 28 de outubro de 2012

Haddad, Sampa merece sim!


Com o aquecimento da economia, a criação de 15 milhões de empregos e a ascensão de 30 milhões de brasileiros ao mercado de consumo na última década, tanto Serra quanto Kassab arrecadaram o dobro em impostos do que Erundina ou Marta em suas gestões. Ambas receberam (Jânio Quadros e Pitta respectivamente) a cidade falida, os serviços públicos beirando ao colapso.
Ao contrário do que os reaças dizem por aí, Marta fez milagres com um orçamento minguado, resultado do fracassado e recessivo governo FHC.
Sem entrar no mérito ideológico e xenófobo desses dois, Serra e Kassab queimaram dinheiro público durante 8 anos empurrando com a barriga os problemas mais crônicos de Sampa. E novamente o PT receberá a cidade arrasada. Mas algo me diz que com Haddad, o paulistano vai descobrir que pode ser feliz. E se esse cara fizer o governo que pintou, como tenho certeza que fará (grande parte, ao menos), será muito difícil para o PSDB, por um longo e saudável período de tempo, recuperar sua “cidadela”. Este é o pesadelo dos reaças. No fundo, sabem que o governo do Haddad será um sucesso. E que Haddad veio para dois mandatos. (Só para começar, aliás.)
Haddad não é um poste que Lula sacou da cartola. Nem Dilma é. Ambos foram “inventados” por Lula porque fizeram um ótimo trabalho em postos chave de seu governo. São técnicos que entraram na política. E, principalmente: estão afinados com as diretrizes de inclusão social do governo petista. Haddad e Dilma são o oposto dos políticos carreiristas, bons de discurso, experts em hipocrisia e incompetentes na prática.
Embora esta seja a primeira eleição em que participa como candidato, Haddad tem muita luz própria. Foi ele que tirou Russomanno do 2o turno, na questão do custo diferenciado das passagens de ônibus. Mesmo com audiência pífia, os debates da Band e da Gazeta ecoaram nos programas eleitorais de Haddad e se espalharam nas redes sociais, iniciando a sangria mortal de Russomanno. Daí em diante arrasou Serra a cada encontro e entrevista, mostrando-se honesto, firme e corajoso.
Sorte dos paulistanos. Pois qualquer outra combinação de resultados seria perigosa.
Serra é freguês do PT. O partido teve sorte em tê-lo como adversário novamente. “Nunca antes na história deste país” um político produziu tanto material negativo contra si próprio, como Serra. Desde o tempo em que vendia patrimônio a preço de banana.
O que dizer sobre o infrutífero trabalho das equipes de campanha do Serra? Fazem mais de 10 anos que centenas de profissionais de comunicação vem mamando em suas entediantes campanhas eleitorais. Desde os paus-mandados pagos para espalhar o lodo fascista na Internet, até os caríssimos marqueteiros que fazem seus programas para a TV. (Será que acreditam na vitória do patrão ou é só pela grana?)
Muito dinheiro jorra nas campanhas eleitorais. Serra perdeu duas e está prestes a perder a terceira das últimas cinco que disputou. A cada derrota, deve se perguntar o que deu errado? Por que os marqueteiros do quintal do vizinho são mais competentes que os do meu?
Marqueteiro não faz milagres. Muito menos na era da Internet. Recebem fortunas, é verdade, mas as vezes o histórico do freguês anula qualquer esforço. O 2o turno interessa a essa gente que trabalha nas campanhas eleitorais. Podem cobrar o que quiserem já que não há limites para as doações. Já que, para sua sorte, não conseguimos aprovar o financiamento público de campanhas. Por que vencer (ou ser vencido) no 1o turno se podem dobrar os rendimentos com um 2o?
Mas até hoje, os investimentos em marketing de Serra só renderam uma prefeiturazinha e um governinho de Estado. Carne de pescoço para seu ego super inchado. E ficará por isso mesmo.
Elegendo Haddad, não estamos apenas tirando de circulação um falsário, fabricado e alimentado pelo PiG durante anos. Estamos entrando em uma nova era. Mais do que isso, estamos colocando São Paulo no século 21, curando suas doenças, extirpando a gangrena demotucana que nos castiga há tanto tempo.
Como eu já disse antes, Haddad vem pra ficar. 8 anos. E certamente São Paulo ficará muito mais humana depois de sua passagem. Todos sabem disso. Mesmo os eleitores de Serra – nos quais o anti-petismo irracional fala mais alto que a péssima qualidade da vida que levam em São Paulo.

Nenhum comentário: