LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Secretaria da Fazenda apresenta relatório na Alba; Galo destaca a avaliação das metas fiscais da Bahia

Apresentar o desempenho da execução orçamentária e financeira do Estado até o 2º quadrimestre e avaliar o cumprimento das metas fiscais previamente estabelecidas para o Orçamento Fiscal e da Seguridade Social. Essas foram as pautas da audiência pública realizada na manhã desta quarta-feira (31), no Plenarinho da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), com o secretário estadual da Fazenda (Sefaz) Luiz Alberto Bastos Petitinga.

 

O vice líder do governo na Alba, o deputado estadual Marcelino Galo (PT), participou da reunião e comentou o relatório de resultados. "É importante ressaltar o aumento do gasto de pessoal e encargos sociais que somaram R$ 9,11 bilhões, correspondendo a R$ 65,45% da previsão anual e um crescimento de 14,59% em relação ao mesmo período anterior, o que demonstra uma valorização do servidor público neste período. A apresentação do secretário foi esclarecedora para termos uma dimensão da aplicação dos recursos", completa.

 

Os balanços orçamentários da receita e despesa são originários dos relatórios bimestrais e quadrimestrais, publicados no Diário Oficial do Estado e foram apresentadas de forma resumida e por relevância pelo secretário da Fazenda. O relatório da Sefaz apresentou, além das despesas de pessoal e limites, os gastos de manutenção e desenvolvimento do ensino, ações de serviço de saúde, a exemplo das transferências de recursos do Fundo Nacional de Saúde (FNS) para o Sistema Único de Saúde (SUS), que somaram até o 2º quadrimestre de 2012 R$ 861,14 milhões, superior em 17,44% ao realizado no mesmo período de 2011.

 

Keila Ramos
Ascom do deputado Marcelino Galo
 www.marcelinogalo.com
71 3115 5596






Nenhum comentário: