LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Sérgio Gabrielli faz análise política em encontro na Alba




Durante o encontro de planejamento do mandato do deputado petista Marcelino Galo, na noite de quarta-feira (19), o secretário de Planejamento, Sérgio Gabrielli, fez uma análise do contexto político em 2012 e uma previsão do Processo de Eleição Direta (PED), do Partido dos Trabalhadores, que acontece em novembro de 2013, e das eleições para governo em 2014. O secretário destacou o planejamento estratégico do estado, que será pautado na continuação das construções de grandes obras como o Porto Sul, reformas e ampliações de aeroportos, saneamento básico, recuperação de estradas, hospitais e manutenção das escolas e colégios estaduais.

 

"O orçamento do governo já está fechado. Teremos um ano com muitas obras realizadas. Vamos acompanhar a execução delas para garantir as estruturas e os benefícios ao povo baiano. A preocupação maior é que essas ações sejam concretizadas para avançarmos no que se refere à infraestrutura, principalmente com as obras de saneamento básico das médias e pequenas cidades do interior", pontua Gabrielli. Sobre o PED, Gabrielli afirma que o importante do PT é fortalecer as alianças internas e conseguir chegar a um acordo para favorecer o crescimento da legenda.

 

Ainda durante o encontro do mandato parlamentar, o deputado Marcelino Galo, destacou a política para 2014 e enfatizou a união das forças para manter a Bahia no rumo do desenvolvimento. "Encerramos as atividades do gabinete e retornamos no dia 7 de janeiro. Esse recesso é importante para 'recarregarmos as baterias' e voltarmos para as ações de 2013, que serão ainda melhores do que foram em 2012. Com muita luta, muitos dos nossos objetivos foram conquistados e, agora, temos que ampliar essa raio de atuação para garantir a participação da Bahia e de bons quadros no legislativo e no executivo estadual em 2014", finaliza.


Nenhum comentário: