LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Marcelino Galo um nome forte para dirigir o PT da Bahia



Galo apresenta resultados do encontro estadual do Movimento PT à ministra Maria do Rosário

 

Apresentar os resultados do encontro da tendência petista Movimento PT, realizada no dia 26 de janeiro, em Salvador, debater as novas estratégias para o partido no nordeste, a chapa do PED nacional, a sucessão de 2014 e a presidência da sigla na Bahia foram alguns dos assuntos tratados entre o deputado estadual Marcelino (PT) e a ministra dos Direitos Humanos do governo Dilma, Maria do Rosário. Em almoço no restaurante Alaíde do Feijão, no Pelourinho, nesta sexta-feira (1º), o parlamentar também fez referência ao acidente na cidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, que deixou 236 mortos.

 

"Esse encontro aqui com a ministra ratifica nossa presença no Movimento PT. Também apresentamos as nossas propostas para o partido na Bahia e quais os debates que precisamos avançar. A consolidação de um quadro político para a sucessão de 2014, onde a tendência escolheu o nome do companheiro Guilherme Menezes [prefeito de Vitória da Conquista] para se juntar aos outros quadros que o PT apresenta, a luta por direitos humanos e contra a intolerância religiosa foram ainda alguns dos anseios passados para ela. Além disso, fiz questão de me solidarizar com a ministra, que é do Rio Grande do Sul, em relação ao incêndio na boate em Santa Maria, que vitimou mais de duas centenas de pessoas, em sua maioria jovens", afirma Marcelino Galo.

 

Visivelmente emocionada, Maria do Rosário agradeceu as condolências do parlamentar baiano e frisou que está cumprindo agenda institucional e cancelou outros compromissos, como a participação em festejos carnavalescos por causa do luto. Politicamente, a ministra do governo Dilma, destacou o fortalecimento da tendência Movimento PT na Bahia e afirmou que pretende debater com mais propriedade a sucessão de 2014 e a disputa interna pela presidência da sigla no estado. "Nossa leitura do encontro na Bahia é que foi um momento excelente para essa discussão e já me prontifico em vir à Bahia para participar dos encontros regionais do PT. Dessa forma, vamos ampliar os debates para a escolha do candidato para suceder o governador Wagner e também para uma possível candidatura de Galo para a presidência do partido", pontua Rosário.

 



Nenhum comentário: