LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Movimento PT, uma Tendência fortalecida na Bahia



Tendência nacional do PT disponibiliza quadros para a sucessão e para a presidência da sigla na Bahia

 

O encontro estadual da tendência petista Movimento PT reuniu neste sábado (26) seus quadros políticos do partido na Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal da Bahia (Ufba), em Salvador. A agremiação recebeu novos integrantes no estado, como os grupos políticos do prefeito de Vitória da Conquista, Guilherme Menezes, e o deputado estadual Marcelino Galo, que apresentaram uma conjuntura sobre as ações do governo e do partido na Bahia. O coordenador nacional do Movimento PT, Romênio Pereira, presente junto com o deputado estadual da Paraíba, Frei Anastácio, declarou que o grupo é a segunda força interna no Brasil e que é preciso que o partido dialogue mais com a sociedade.

 

"O PT precisa se preparar, estar mais aberto às pessoas, fazer um debate para não levar as coisas fechadas. O movimento PT vem construindo isso há um certo tempo. É um grupo que tem várias lideranças ligadas aos trabalhadores sem terra, ligado às minorias, articulado com os movimentos sociais. Nós vamos disputar no campo das ideias, no campo das propostas, para avançar mais a política do PT. Eu entendo que aqui hoje é o batismo, o fechamento do grupo com a participação de Guilherme Menezes e de Marcelino Galo. Nós temos condições, temos nomes, tanto de homens quanto de mulheres, para disputar o partido e Guilherme tem um amadurecimento político muito grande, podemos com ele alcançar a vitória do PT na Bahia", declara Pereira durante seu pronunciamento no encontro em Salvador.

 

Durante a tarde, o ex-governador da Bahia e vereador de Salvador, Waldir Pires, participou das análises de conjuntura e afirmou que tanto Guilherme quanto Galo são pessoas da mais alta admiração e que são bons quadros dentro do partido. O edil petista salientou, entretanto, que é necessário que o partido se desenvolva mais. "Preciso salientar do perigo de não estarmos na altura dos desafios que vamos enfrentar, porque estamos enfrentando uma crise política forte, com políticos que perderam a capacidade de refletir o caminho de suas ações. Essa crise hoje é uma crise séria, Romênio fez uma advertência séria: a política é a única forma de administrar a sociedade".

 

O Movimento do PT, ao ser fundado há 10 anos, pensava na inserção do partido com a finalidade de fortalecer os movimentos sociais e ajudar na transformação da sociedade brasileira. "Acredito no projeto político, acredito na nossa força, acredito nos meus companheiros desta tendência, acredito no Movimento PT. Vou fazer a minha análise sobre a conjuntura do PT, focando em três pontos que ainda desafiam o governo do PT: a segurança, a corrupção do dinheiro público e a reforma agrária", pontua o deputado paraibano Frei Anastácio, que lembrou a luta perversa para descaracterizar o partido.

 

De acordo com o prefeito de Conquista, "esse encontro é muito importante porque a gente sai fortalecido. Uma característica importante do PT é a oportunidade de debater, é um partido que tem mais ouvidos do que boca. No PT é preciso ouvir e respeitar quem está falando. Estreitar nossos laços nos comunicar para que o Movimento PT se fortaleça. Esse é o primeiro movimento para o qual eu me integro. Quando a gente escolhe com quem andar a gente escolhe o caminho que vai percorrer. E eu escolhi esse caminho, é importante que esse laço que nos une nos dê gosto de chamar o próximo de companheiro", completa Guilherme.

 

Ascom do deputado Marcelino Galo

www.marcelinogalo.com

71 3115 5596






Nenhum comentário: