LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

sexta-feira, 1 de março de 2013

Frente Parlamentar Ambientalista será instalada na pr��xima quinta na Bahia

[Política] - 01.03.2013

Frente Parlamentar Ambientalista será instalada na próxima quinta na Bahia

 

As comissões parlamentares de Agricultura e Política Rural, de Meio Ambiente, Seca e Recursos Hídricos e de Direitos Humanos e Segurança Pública terão a participação direta do deputado estadual Marcelino Galo (PT). Entretanto, as temáticas sobre meio ambiente serão destaque neste primeiro semestre na Assembleia Legislativa da Bahia, que já aprovou a criação da Frente Parlamentar Ambientalista do estado, com a coordenação do parlamentar petista.

 

A Frente será instalada na próxima quinta-feira (7), às 9h, no Plenarinho da Casa Legislativa com a apresentação do Grupo de Trabalho (GT) que irá monitorar a implementação do Código Florestal na Bahia. O evento é uma parceria da Frente Parlamentar Ambientalista com a Fundação SOS Mata Atlântica, a Associação Nacional de Órgãos Municipais de Meio Ambiente (ANAMMA) e o Ministério do Meio Ambiente (MMA), com apoio do Grupo Ambientalista da Bahia (Gambá) e da ONG Gérmen.

 

Marcelino Galo, que também é vice-presidente da Comissão de Meio Ambiente, Seca e Recursos Hídricos encaminhou a proposta na primeira reunião técnica, realizada na última terça (26), e mais de 20 deputados estaduais já assinaram o requerimento que cria a Frente Parlamentar Ambientalista da Bahia. "A intenção do grupo de trabalho é monitorar a implementação do Código Florestal. Fora isso, a frente parlamentar deverá tratar temas como o mapeamento do cadastro ambiental rural, pesca, reforma agrária, reflorestamento da caatinga, bacias hidrográficas e conexões da rede eólica, e já temos essa primeira reunião para consolidar as ações, instalar a Frente e apresentar o GT", informa o deputado petista.

 

Lançamento do GT Bahia

Com a aprovação do Código Florestal pela presidente Dilma Rousseff (PT), a lei deve agora ser implementada e acompanhada pela sociedade. A Bahia é o primeiro estado brasileiro a lançar um grupo de trabalho com este objetivo. O lançamento do Grupo de Trabalho de Acompanhamento da Implementação do Código Florestal acontece também na próxima quinta (7). A Bahia possui quatro dos principais biomas brasileiros: Mata Atlântica, Caatinga, Cerrado e Zona Costeira e que hoje ainda não tem o mapeamento da Cobertura Vegetal/Florestal destes biomas, bem como um mapa da biodiversidade neles contidos. A Frente Parlamentar e o GT da Bahia vão exigir as políticas, planos e programas para recuperação florestal em nosso estado, visando garantir o equilíbrio ecológico e ambiental das nossas regiões.

 

"A idéia é estimular a cidadania e o acompanhamento da Lei, em um processo descentralizado e participativo, e também reforçar o papel das Frentes Parlamentares Estaduais. Por isso, vamos incentivar o acompanhamento do Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica, sendo a Bahia o primeiro deles a lançar um GT com esse propósito", completa o diretor de Políticas Públicas da Fundação SOS Mata Atlântica, Mario Mantovani.

 

Ascom do deputado Marcelino Galo

www.marcelinogalo.com

71 3115 5596







Nenhum comentário: