LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

domingo, 17 de março de 2013

Tendências internas do PT propõem unidade e consolidam novo campo político na Bahia




Tendências internas do PT propõem unidade e consolidam novo campo político na Bahia

 

O Partido dos Trabalhadores da Bahia dá um passo importante rumo ao Processo de Eleição Direta (PED) com a consolidação de um novo campo político que vai fortalecer a sigla para enfrentar o debate de sucessão. A união das tendências Articulação CNB, Brasil Socialista, Coletivo 2 de Julho, Esquerda Democrática e Popular, Movimento PT e a Militância Petista inicia um período político dentro do partido que agrega petistas históricos, como aconteceu na noite desta quinta-feira (14), com a reunião no Restaurante Grande Sertão, no Costa Azul, em Salvador, das lideranças políticas dos grupos para tratar e debater os novos rumos do partido para o PED e para a sucessão de 2014.

 

Os pré-candidatos à presidência do PT Emiliano José, Luiz Alberto, Marcelino Galo e Osmar Galdino assumem publicamente o compromisso de estarem juntos neste processo de construção da necessária unidade partidária e de marcharem juntos na defesa do nome que melhor reunir as condições para assumir a grandiosa tarefa de representar na presidência os milhares de petistas da Bahia.

 

Segundo o secretário geral do PT Bahia, Osmar Galdino, o intuito é construir uma unidade na diversidade petista para unificar os nomes, tendências, mandatos e agrupamentos em uma única iniciativa que possa ajudar a fortalecer o PT. "Acreditamos que antes de decidirmos quem assumirá a presidência do nosso partido na Bahia, devemos antes organizar um processo rico de debates para termos um PT mais forte, mais militante e capaz de dirigir as forças de esquerda para aprofundar a revolução democrática em curso".

 

2014 é PT

As condições políticas que levaram o PT e os partidos da base aliada às vitórias eleitorais em 2006, 2010 e nas eleições municipais de 2008 e 2012, reforçam o PT como partido líder do projeto popular em curso na Bahia. Para os petistas, durante esse processo, a liderança do governador Jaques Wagner é incontestável. "Recai sobre ele [Wagner], como nosso principal líder no Estado, a tarefa de conduzir o processo decisório", completa o deputado Marcelino Galo.

 

Ainda de acordo com os petistas, a vitória na Bahia em 2014 deverá ser combinada com a estratégia para a reeleição da presidenta Dilma e para a manutenção do projeto nacional. "Há uma compreensão que esse campo político lutará pela defesa do PT reconhecendo, inclusive, Luiz Caetano, José Sérgio Gabrielli, Walter Pinheiro e Rui Costa, como quadros construídos coletivamente, forjados na história do partido e, que, como tais, devam ser valorizados", frisa o conselheiro da Fundação Perseu Abramo Emiliano José.


O deputado federal Luiz Alberto diz que o encontro em Salvador é uma experiência positiva para o partido nesse momento. "Esse campo pode evoluir para uma compreensão comum para os rumos do PT, das suas tarefas futuras. Acredito que seja um ato positivo, reunir diversas forças políticas em torno de uma preocupação comum, que é a direção do partido, para formar uma unidade política e programática que pode evoluir para um campo que unifique em torno de um nome para a sucessão estadual. O encontro pode ser força que o partido e outras forças políticas compreendam a necessidade dessa unificação", finaliza.

 

Participaram da reunião nesta quinta-feira, além dos pré-candidatos à presidência do PT, militantes partidários, membros de movimentos sociais, a deputada estadual Maria Del Carmen, o secretário estadual de Promoção da Igualdade Racial, Elias Sampaio, e representantes da executiva estadual do partido na Bahia. O encontro contou ainda com os vereadores de Salvador, Arnando Lessa, Moises Rocha, Waldir Pires, o deputado federal Nelson Pelegrino e o prefeito de Vera Cruz, Antônio Magno. A reunião ainda teve o apoio dos deputados Rosemberg Pinto (estadual) e Geraldo Simões (federal), além da presença do superintendente do Ibama, Célio Costa Pinto, do vereador de Camaçari, José Marcelino e os membros diretores dos setoriais do PT.

 

Ascom do deputado Marcelino Galo

www.marcelinogalo.com

71 3115 5596

 




Nenhum comentário: