LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Presidente do Bahia vira alvo de graves denúncias em Brasília


Nós, torcedores do Bahia e mais todas as torcidas dos grandes times brasileiros, temos que tomar posição contra os dirigentes dos times, que na sua maioria sempre usaram do futebol para se projetarem na política e enriquecerem à custa das suas torcidas.
Elinalva

Presidente é acusado de estelionato, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha
Presidente é acusado de estelionato, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha
26/04/2013 - 11h40

Presidente do Bahia vira alvo de graves denúncias em Brasília

Do UOL, em São Paulo
    Desafeto da torcida tricolor, o presidente do Bahia, Marcelo Guimarães Filho, se tornou na tarde desta quinta-feira alvo de uma denúncia endereçada à Procuradoria-Geral da República. Dois advogados baianos que moram em Brasília protocolaram na sede do órgão, localizada na capital federal, uma notícia-crime apontando possíveis crimes de estelionato, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha

A dupla de advogados, formada por Antonio Rodrigo Machado e Marcus Tonnae Silva, pede que o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, investigue o quarteto e estabeleça um inquérito civil para apurar supostos ilícitos envolvendo a atuação da Calcio no clube, utilizando reportagens da imprensa local e nacional para indicar os fatos.Além do presidente, também figuram no processo o gestor de futebol tricolor Paulo Angioni, o coordenador da divisão de base do clube Newton Mota e o delegado André Garcia, sócio-proprietário da empresa Calcio, parceria do Bahia e que é dona de percentuais de jogadores das divisões de base do clube tricolor.
“Há uma brincadeira com uma das maiores instituições da Bahia e, como torcedores e cidadãos, não podemos ficar calados e entendendo tudo como algo normal. É uma falta de respeito com o torcedor. Se há uma unanimidade entre a torcida do Bahia, é que Marcelo Guimarães não faz bem e não respeita a torcida, e se utiliza do Bahia para fins pessoais”, disse Antonio Rodrigo Machado ao Bahia Notícias.
Confira um trecho do documento:
No Esporte Clube Bahia não existem eleições diretas e as regras para associação são nebulosas e tratadas como uma extensão do patrimônio da já abastada Família Guimarães, há quinze anos no comando do clube e envolvida em diversas investigações na Polícia Federal, a exemplo da Operação Jaleco Branco.
A gestão do Presidente do Esporte Clube Bahia se reveste das mais diversas formas de obscurantismo, mas sua ofensa não fica restrita apenas a não participação dos torcedores no processo político interno. Recentemente, a imprensa trouxe a público uma verdadeira rede de interesses financeiros envolvendo jogadores da base do Esporte Clube Bahia através de uma empresa privada: a CALCIO.

Nenhum comentário: