LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Marcelino Galo assume vaga na coordenação nacional do Movimento PT e tendência define apoiar Falcão

[Política] - 08.05.2013

Galo assume vaga na coordenação nacional do Movimento PT e tendência define apoiar Falcão

 

O deputado estadual Marcelino Galo (PT) assumiu uma vaga na coordenação nacional do Movimento PT (MPT), tendência interna do Partido dos Trabalhadores, para atuar nas articulações da Bahia. A eleição de Galo aconteceu durante o encontro nacional da tendência, realizado em Brasília, no último final de semana, que contou com a participação da ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, de militantes petistas e de políticos que formam a tendência no Brasil. No encontro na capital federal ficou decidido que o MPT vai apoiar a reeleição do atual presidente nacional do PT, Rui Falcão.  Com isso, não haverá disputa para o Processo de Eleição Direta (PED), tendo o PT se voltado todo para a reeleição de Falcão.

 

Na Bahia, os pré-candidatos à presidência estadual do partido vão marchar com Rui Falcão. "Acreditamos no trabalho desenvolvido por ele nesse período que esteve à frente do PT e no fortalecimento que a sigla teve com as articulações políticas", declara Galo. O parlamentar petista afirma que, ao compor a coordenação nacional da tendência, naturalmente acontece um avanço político para enfrentar processos como a disputa interna pela presidência do PT na Bahia e a escolha do nome que vai substituir Jaques Wagner em 2014. "Estamos cientes que é mais um passo importante para o crescimento das propostas do partido e da participação da militância nas decisões", completa.

 

De acordo com informações do deputado baiano, o apoio do MPT a Rui Falcão aconteceu "por se tratar de um importante momento da conjuntura, onde o principal embate se dá com a direita brasileira e pela necessidade de desbloquear as relações internas do PT". Ainda tratando da composição do MPT Nacional, foram indicados, junto com Marcelino Galo, os petistas Ana Torquato, que compõe a Comissão de Negros e Negras, Wesley Francisco, que assume a Coordenação do Núcleo LGBT, Luciana Mandelli, na Comissão do PED, e Camila Vieira, que vai acompanhar os debates sobre a democratização da comunicação.

 

Ascom do deputado Marcelino Galo

www.marcelinogalo.com

71 3115 5596

 

Nenhum comentário: