LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

terça-feira, 7 de maio de 2013

Um marco histórico na luta contra a privatização da água na Bahia


Raio Laser

Coluna do dia 07/05/2013

Marco
Será votado na Assembleia Legislativa da Bahia, hoje, o projeto de lei enviado pelo governador Jaques Wagner que revoga a Lei 7.483/99, que autorizou o Estado a vender a Embasa. O projeto vem tramitando em caráter de urgência. A revogação da lei, caso aconteça, será (como tem falado setores do governo) um marco histórico na luta contra a privatização da água na Bahia, numa campanha iniciada no começo dos anos 90 e que mobilizou toda a sociedade baiana, incluindo a Igreja e trabalhadores de água e esgoto, através do Sindae. Segundo o Sindicato, na década de 90 a Embasa chegou a ser oferecida a empresas europeias, teve demissão em massa para "enxugar" o quadro de pessoal e ainda recebeu muito dinheiro da Caixa Econômica Federal, na certeza da sua venda. Se a revogação da privatização for aprovada, será um caso único no país, um marco para trás, já que o mundo caminha na direção da desestatização.


Nenhum comentário: