LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Marcelino Galo pede desculpas aos estudantes e denuncia a FTC

Galo pede desculpas aos estudantes e denuncia a FTC


Em pronunciamento no plenário da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), na tarde desta quarta-feira (05), o deputado estadual Marcelino Galo (PT) repudiou a atitude dos policiais e pediu desculpas aos estudantes da universidade, que foram impedidos na manhã da última terça-feira (04) de realizar a manifestação, sendo contidos com bombas de efeito moral lançadas pela polícia.

"Fiquei muito constrangido com a ação da polícia militar. Me veio a lembrança dos velhos tempos, quando vi a polícia militar dando tiro de bala de borracha nos manifestantes. Eu, como parte da base do governo, peço desculpas aos estudantes e professores, que há dois meses estão sem receber salários, e manifesto o meu repúdio à forma com que eles foram tratados", afirma o parlamentar.

O petista destacou ainda que a Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC), que está presente em Salvador, Vitória da Conquista, Jequié e em diversas cidades da Bahia através do sistema de educação a distância, ignora as leis trabalhistas e não paga em dia seus trabalhadores/as, segundo dados do Sindicato dos Professores no Estado (SINPRO). De acordo com o sindicato, a universidade cria dificuldades para receber os pagamentos das mensalidades via boleto bancário, evitando o bloqueio de seus recursos empenhados em dívidas.

Galo lembrou ainda o drama vivido pelos professores demitidos a partir de 2010 que não recebem o que lhes é devido pela FTC, e reiterou total solidariedade aos professores e estudantes. "Peço que seja averiguada as circunstâncias, para que jamais reproduzamos esse método de opressão praticado pela PM da Bahia. Esses trabalhadores exigem o pagamento de seus salários, do aviso prévio, 13º salário, férias devidas e proporcionais, liberação e pagamento do FGTS com respectiva multa de 40%, além de revisão salarial", finaliza.



Keila Ramos

Ascom do deputado Marcelino Galo

www.marceinogalo.com

71 3115 5596

 


Nenhum comentário: