LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Deputado Marcelino Galo reúne militância e apoiadores para debater reformas e eleições

A plenária do mandato do deputado estadual Marcelino Galo (PT) acontece neste sábado (17), no auditório da Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal da Bahia (Ufba), em Salvador. Militantes e apoiadores do parlamentar vão debater, durante todo o dia, temas como as reformas política, agrária e tributária, diretos humanos e as estratégias para a eleição de 2014.

 

"Precisamos afinar as conversas e iniciar outra fase do mandato, para aprimorar e abrir debates importantes para este momento que vivemos no país. Além de ouvir o que vem das ruas, temos que pensar em estratégias para aplicar essas demandas como o próprio diálogo da mobilidade urbana e os direitos humanos, o acesso democrático da comunicação e uma série de ações que não vamos esperar mais 30 anos para pensar em fazer. Fora que 2014 é ano de Copa do Mundo e de Eleições Gerais, então o nosso trabalho vai ser dobrado", pontua Galo.

 

Segundo o parlamentar, as bancadas do partido na Câmara Federal e na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) foram convidadas formalmente para participar das atividades neste sábado. São 10 deputados federais e 13 estaduais, além de prefeitos, vereadores, lideranças comunitárias, presidentes de Sindicatos, Cooperativas, Associações e Colônias de Pescadores, assessores parlamentares, representantes de movimentos sociais e de luta pela terra.

 

Na programação, os políticos presentes terão a manhã de 8h às 12h para pronunciamento, fazer balanço do mandato e apresentações culturais. No turno da tarde, de14h às 16h, acontecem as reuniões por território de identidade, apresentação dos trabalhos e diretrizes gerais.

 

Ascom do deputado Marcelino Galo

www.marcelinogalo.com

71 3115 5596


Nenhum comentário: