LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

MPL - Movimento Passe Livre cobra demandas em audiência na Alba e deputado quer avanço de reformas

As discussões a respeito do transporte coletivo na Região Metropolitana de Salvador (RMS) continuam como pauta principal do Movimento Passe Livre (MPL). Na tarde desta quinta-feira (8), cerca de 300 manifestantes reuniram-se no auditório da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), para uma audiência pública que debateu as questões relacionadas à carta entregue ao governador Jaques Wagner e que possui um conjunto de reivindicações que dizem respeito, prioritariamente, ao governo do Estado - no que se refere às questões de mobilidade. O deputado estadual petista Marcelino Galo acompanhou a audiência e ressaltou a necessidade de se trabalhar outros aspectos para melhorar os níveis de transportes públicos na capital baiana.


"O governo é parte disso, existe ainda os interesses de classes que são violentos. A partir de agora vamos avançar para a reforma tributária, pois esse dinheiro vai ter que vir de algum lugar para pagar o custo do transporte para os trabalhadores", considera. O parlamentar petista sugere a reforma e incorporação das lutas da rua, taxação das grandes fortunas, cobrança de imposto sobre herança, além de taxar os ricos ao invés de onerar o consumo e distribuir para os trabalhadores.


O movimento quer que o tema seja debatido com a sociedade baiana, principalmente com os especialistas e os movimentos interessados em mobilidade. O objetivo é que os interesses populares sejam inseridos nos planos do governo. Dentre a pauta de reivindicações, o movimento solicita a redução da tarifa imediata em decorrência da desoneração da folha de pagamento das empresas de transporte público, além de um debate ampliado sobre as obras da mobilidade urbana na capital, como ciclovias, a Via Expressa e duplicação de grandes avenidas.

 

Keila Ramos

Ascom do deputado Marcelino Galo

www.marcelinogalo.com

71 3115 5596


--
Vitor Alves de Fernandes
Telefone: + 55 71 8878 9657
E-mail: vitor.alvesdefernandes@gmail.com






Nenhum comentário: