LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Petista rebate Imbassahy e diz que “ninguém joga pedra em árvore que não dá fruto”

"Ninguém joga pedra em árvore que não dá fruto", disse o deputado estadual Marcelino Galo, se referindo às declarações do tucano Antônio Imbassahy sobre a presença do secretário de Planejamento José Sérgio Gabrielli no Senado, na terça-feira (6). Para Galo, a investida do parlamentar fracassou porque ele "só tinha discurso para o caso de Gabrielli não aceitar o convite com alguma esquiva, mas os fatos e dados apresentados desmontaram a versão que os senadores do PSDB e a [revista] Veja tentaram vender".

 

Ao citar o ditado popular, Marcelino revela o que acredita ser uma tática tucana para queimar quadros como o ex-presidente da Petrobras, que ainda não foram testados nas urnas. "Fracassaram na tentativa de queimar Gabrielli com acusações de que ele não seria um bom gestor e terminaram dando uma oportunidade de ele mostrar ao Brasil que é um gestor competente, reconhecido internacionalmente, e um político correto e com credibilidade para enfrentar qualquer desafio", contra-ataca.

 

Ascom do deputado Marcelino Galo

www.marcelinogalo.com

71 3115 5596








Nenhum comentário: