LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

domingo, 8 de setembro de 2013

“Infeliz aniversário”, diz deputado sobre um ano sem desapropriação de terras na Bahia



Date: Wed, 4 Sep 2013 18:04:01 -0300
Subject: [Reforma Agrária] - 04.09.2013 - "Infeliz aniversário", diz deputado sobre um ano sem desapropriação de terras na Bahia
From: ascom@marcelinogalo.com.br
To:


[Reforma Agrária] - 04.09.2013

"Infeliz aniversário", diz deputado sobre um ano sem desapropriação de terras na Bahia

 

Neste ano de 2013, nenhuma nova área foi desapropriada na Bahia para avançar as ações voltadas para a reforma agrária no estado. A informação foi passada pelo deputado estadual Marcelino Galo (PT), durante pronunciamento nesta quarta-feira (4), na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), quando criticou a falta de políticas federais voltadas para o segmento.

 

"Um infeliz aniversário para quem luta pela terra neste estado. Aliás, de janeiro para cá, não teve nenhuma desapropriação de terra e isso tem refletido também nas atividades dos profissionais do Incra", pontua Galo que foi solidário ainda com a luta dos peritos agrários, que lutam para que seus salários sejam equiparados aos dos fiscais do Ministério do Desenvolvimento Agrário.

 

Para o parlamentar, os funcionários do Incra formam uma categoria fundamental no processo de desapropriação de terras, pois são eles que fazem as vistorias, as avaliações periciais das áreas e assumem essa responsabilidade.

 

"Temos de voltar a debater a reforma agrária para não termos que passar por isso que estamos vivendo agora. Nenhuma nova área na Bahia foi desapropriada e no Brasil esse número também é zero. Isso não pode acontecer em um estado como o nosso, com mais de 25 mil famílias vivendo nas lonas nas margens das estradas", completa o deputado.

 

Ascom do deputado Marcelino Galo

www.marcelinogalo.com

71 3115 5596


--
Vitor Alves de Fernandes
Telefone: + 55 71 8878 9657
E-mail: vitor.alvesdefernandes@gmail.com






Nenhum comentário: