LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Caetano Veloso: "Dilma enfrenta mundo mais difícil que Lula e FHC"

Caetano Veloso: "Dilma enfrenta mundo mais difícil que Lula e FHC"

Caetano Veloso acredita na vitória de Dilma, mas reconhece cenário mais complicado para a atual presidente do que na época de Lula. “Vivemos agora, em todo o mundo, um período de profunda instabilidade. Dilma encontra um mundo mil vezes mais difícil”

caetano veloso dilma lula eleições 2014
Caetano Veloso afirmou que o Brasil melhorou muito nos períodos Lula e FHC (Foto: Agência Estado)
O compositor Caetano Veloso diz que aposta em vitória da presidente Dilma Rousseff em primeiro turno. No entanto, reconhece que o mundo está mais hostil na atual conjuntura do que na época do presidente Lula.
Em entrevista a revista “El Cultural”, do jornal “El Mundo”, ele faz uma análise positiva dos governos de FHC e Lula: “O Brasil mudou muito e para melhor, com Fernando Henrique Cardoso e Lula. O primeiro, freou a inflação e a lei de responsabilidade fiscal. Lula teve a coragem de aumentar o salário mínimo e, talvez mais importante, criou o Bolsa Família. Lula é adorado pelo povo, por isso que pode eleger Dilma, que ainda é amada pelo povo como uma representante das políticas públicas de Lula. Ela enfrenta desafios, mas se a eleição fosse hoje, ela seria vitoriosa no primeiro turno”.
Segundo ele, a economia mundial era favorável nas gestões Lulas e vê um cenário diferente para sua sucessora: “Dilma encontra um mundo mil vezes mais difícil. Mas o Brasil que saiu dos governos FHC e Lula é menos vulnerável. Vivemos agora, em todo o mundo, um período de profunda instabilidade. Entretanto, o Brasil, que enfrenta seus velhos problemas com novas cores, agora é mais capaz de resolvê-los”

Nenhum comentário: