LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Mas vergonha de quê?


Gilson Caroni Filho faz três sucintas perguntas...

1) O ex-jogador Ronaldo, em apoio ao seu amigo Aécio Neves, "diz estar com vergonha do país". É uma declaração calculada, visivelmente oportunista, a qual não se deve dar a importância que algumas pessoas estão dando. Mas Ronaldo está com vergonha de quê?


2) Algumas celebridades também afirmam estar com vergonha do país. É o caso de Paulo Coelho, Ney Matogrosso e outros mais. Mas, objetivamente, de que sentem vergonha estas vestais? Corrupção? Não creio. Educação e Saúde Pública precária? Se fossem estes os motivos, teriam morrido de vergonha na ditadura e nos dois governos FHC. Não só sobreviveram como cantavam e escreviam como nunca.


3) Algumas palavras são caras ao imaginário de qualquer jovem e em qualquer época. É o caso de "rebelde","contestação" e " revolta", para ficarmos nas que me vêm à mente no momento em que digito. Pois bem, valendo-se disso um grupo claramente direitista cria uma tal de "TV Revolta", que tem um discurso tão reacionário e tosco, que chego a sentir asco e pena ao mesmo tempo. E não é que vejo pessoas que me são caras curtindo esta lástima.


Por favor, votem em quem quiserem, mas não me passem atestado de burrice. Na "TV Revolta" as pessoas também expressam sua "vergonha com o país'. Mas vergonha de quê? O quadro abaixo talvez seja elucidativo e responda em parte a estas três perguntinhas. No momento em que países europeus e os Estados Unidos, referências para as mentalidades colonizadas, ostentam números expressivos de desempregados — ao mesmo tempo em que desmontam direitos sociais e trabalhistas — o Brasil tem o desplante de ir na contramão desta suposta vanguarda, com políticas de inclusão. Isso é mesmo uma vergonha. Fora Dilma! Queremos seguir o mesmo caminho dos nossos irmãos do Norte. Até eu fiquei envergonhado.


Grifo meu(Elinalva)

Nenhum comentário: