LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

NOTA DE ESCLARECIMENTO DE LEONARDO BOFF





NOTA DE ESCLARECIMENTO

Em relação ao vídeo que foi colocado na mídia em que dou um depoimento apoiando a candidatura de Marina Silva, gostaria de esclarecer que o referido vídeo foi feito em 2010 e, portanto, sua validade se restringe à eleição do primeiro turno daquele ano.
Não acho ético publicar textos e gravações minhas apoiando  Marina, feitas em 2010, no contexto da discussão ecológica que mantenho até hoje. 

Hoje, em muitas redes e no twitter, estão gravadas mensagens minhas de apoio a Marina, inclusive a acima citada. Mas, quero deixar bem claro que acho que o projeto do PT é ainda o melhor para a maioria o povo. O de Marina é o atraso do atraso, assumindo o que há de pior do neoliberalismo que vai arrochar salários, gerar desemprego e repassar para os rentistas bilhões de reais, pois vai aumentar os juros da Selic para conter a inflação.

E deixar o Banco Central independente é entregá-lo ao sistema financeiro e especulativo, o que implica afetar a soberania monetária nacional. Marina traiu a viragem histórica que houve com a entrada no cenário político de quem sempre fora excluído, pois as elites haviam, desde a Colônia, se apropriado do Estado. Nunca se fez políticas públicas que incorporassem 36 milhões de pessoas no consumo necessário e mínimo antes dos governos do PT.

Não entro nos méritos de quem vai em outra direção ideológica. Mas peço para não mais publicar textos e gravações minhas antigas para não confundir os eleitores. Isso seria manipulação de materiais velhos, feitos num contexto, que agora mudou completamente.

Eu acredito que o projeto progressista de Dilma, aprofundado  e enriquecido, é ainda a melhor alternativa para o pais.

lboff


"Ninguém vale pelo que sabe, mas pelo que faz com aquilo que sabe". Leonardo Boff

​Fonte: Recebido por e-mail​

Nenhum comentário: